Lance Ex-aluna do CEL pronta para jogar vôlei e estudar nos EUA

Ex-aluna do CEL pronta para jogar vôlei e estudar nos EUA

Jessica Sales vai para desafio americano

Lance
Lance

Lance

Lance

Fã da líbero Fabi, principalmente por sua capacidade de lidar com as adversidades e seguir brilhando, Jéssica Sales começou no vôlei em 2010, aos 8 anos. Agora, prestes a completar 19 anos, a jogadora e estudante não vê a hora de embarcar para o maior desafio de sua vida: jogar e estudar no exterior, mais exatamente no Seward Community College, no Kansas, nos EUA.

A escolha de Jéssica pelo vôlei foi por influência dos pais, a contadora Rosana Sales e o administrador, mas hoje motorista de aplicativo, Walter Ramos.

- Eles queriam que eu fizesse um esporte para me ocupar e sempre gostei do vôlei por ser muito coletivo. E, como eu era muito tímida, e ainda sou um pouco (risos), meus pais acharam que eu iria gostar do vôlei e, ao mesmo tempo, me ajudar nessa parte social – revela a estudante.

Boa parte da trajetória da atleta carioca nas quadras foi no Flamengo, clube que defendeu de 2013 a 2019 e conquistou títulos como a Copa Cidade Maravilhosa.

O desejo de Jéssica de jogar e estudar no exterior aumentou em 2015, quando, graças a uma bolsa por causa do vôlei, passou a estudar no CEL Intercultural School.

- No começo, achei que não iria me adaptar nessa rotina cansativa de ter que treinar muito e estudar mais ainda. Mas tive muito apoio da escola para poder conseguir fazer tudo direto. O CEL me ajudou a tentar criar rotinas de estudos, e para conseguir fazer as provas que eu perdia viajando por causa dos campeonatos.

Em relação ao CEL, a filha de Rosana e de Walter também é grata à coordenadora da unidade da Barra, Camila Fernandes.

- Sempre tive vontade de estudar no exterior e, com o esporte, eu sabia que teria mais chances ainda. Assim que eu contei para a minha coordenadora, ela me deu total apoio e me deu algumas dicas de ex estudantes que fizeram o mesmo que eu – agradece.

Jessica se sente ainda mais vitoriosa por ter sido aprovada para uma universidade americana em plena pandemia:

- No início da quarentena, cheguei a desistir de tentar estudar no exterior, porque não estava mais animada por causa de toda situação que estávamos vivendo. Mas tive algumas conversas com minha coordenadora e ela me ajudou muito. Então, entrei em contato com uma agência que ajuda atletas a estudar no exterior (MM Volleyball) e consegui bolsa no Seward Community College.

A filha de Rosana e Walter, no dia 17 de maio, foi homenageada na unidade da Barra da Tijuca com um backlight que exibe suas aprovações em universidades:

- Eu fiquei muito feliz porque todos os anos eu olhava os antigos alunos comemorando suas conquistas com a escola e agora foi a minha vez.

Também aprovada para o CEFET, no Rio, a fã de Fabi agora luta contra a ansiedade para embarcar rumo aos EUA em julho (para onde irá pela primeira vez):

- Estou muito ansiosa para estudar e jogar vôlei nos EUA. E, se não fosse pelos professores e pela minha coordenadora, provavelmente teria desistido desses sonhos, mas eu sempre tive o incentivo deles para continuar.

Mas, o que é a ansiedade para quem já superou tantos obstáculos?

Últimas