Lance Dicionário da NBA: entenda os termos utilizados nas transmissões da liga de basquete

Dicionário da NBA: entenda os termos utilizados nas transmissões da liga de basquete

O Lance! explica o significado de stepback, turnover e muitas outras expressões usuais

Lance
Lance

Lance

Lance

O público da NBA no Brasil vem aumentando a cada ano, mas alguns novos fãs podem ter dificuldade de entender determinados termos utilizados nas transmissões da principal liga de basquete do planeta. É comum que as narrações brasileiras façam uso de palavras em inglês para nomear jogadas ou estatísticas que integram o universo da modalidade. Pensando nisso, o Lance! montou um dicionário da NBA. Veja abaixo.

And-one: a expressão é usada quando um jogador sofre uma falta durante o ato do arremesso e, ainda assim, consegue acertá-lo. Os pontos (seja em arremessos de dois ou três pontos) são contabilizados, e o atleta tem oportunidade de cobrar um lance livre de bonificação.

Ankle-breaker: a tradução literal seria "quebrador de tornozelos". O termo refere-se a um drible desconcertante, que normalmente deixa o adversário no chão.

Buzzer beater: é um arremesso certo no estouro do cronômetro, ou seja, o relógio referente à minutagem de um dos quartos ou da prorrogação é zerado após a bola sair da mão do atleta. Antes da conversão dos pontos, portanto, soa a campainha (em inglês “buzzer”).

Catch and shoot: é um arremesso efetuado assim que o jogador pega na bola, sem chegar a driblar. A tradução literal é “pegar e atirar”.

Clutch time: se refere aos cinco minutos finais (ou prorrogação) de uma partida com diferença de menos de cinco pontos entre as equipes. Um atleta é chamado de “clutch” quando costuma brilhar nesses momentos, os mais decisivos de um jogo.

Crossover: é o drible mais usual do basquete, quando um jogador ameaça ir para um lado e leva a bola para o outro, de forma a enganar o adversário.

Dunk: em português “enterrada”, é o ato de converter um arremesso com a mão que segura a bola acima da altura da cabeça, se pendurando no aro da cesta.

Duplo-duplo (double-double): quando um jogador passa de dez registros em duas das cinco principais estatísticas do basquete (pontos, assistências, rebotes, tocos ou roubos de bola) em apenas uma partida, ou seja, chega a dígitos duplos em ambas. 

Ejetado (ejected): quando o jogador é expulso de quadra pelos juízes, no basquete, diz-se que ele foi ejetado. Isso acontece quando ele comete a quinta falta individual, segunda falta técnica ou antidesportiva no jogo. O atleta é expulso também ao cometer uma falta flagrante 2, caracterizada por uma ação violenta que coloca a saúde do adversário em risco.

Floater: é um arremesso em que o jogador solta a bola com apenas uma das mãos antes da marcação chegar, usando um arco mais alto do que o da usual bandeja para que a bola passe por cima do defensor.

Game-winner: é a cesta que dá a vitória ao time, quando o jogador converte o arremesso no fim do jogo e faz o time passar à frente no placar.

Jersey: é como são chamadas as camisas de jogo das franquias da NBA. 

Mid-range (meia-distância): é o arremesso feito a uma distância mediana do aro. O mid-range não acontece antes da linha de 3 pontos, mas também não é feito muito próximo ao aro, como em uma bandeja.

Overtime: consiste em uma “prorrogação” no jogo de basquete, uma vez que a partida não pode terminar empatada. Caso haja empate no tempo regulamentar, os times jogam por mais cinco minutos e assim por diante até uma das equipes terminar um overtime em vantagem.

Pick and roll: é uma jogada muito comum no basquete, na qual um jogador faz um bloqueio no marcador do companheiro que tem a bola e depois gira para se projetar em direção à cesta.

Playoffs: é a chamada “pós-temporada” na NBA. Os 30 times disputam a temporada regular, mas apenas oito de cada conferência se classificam para os playoffs. A fase é eliminatória, na qual cada confronto pode ter até sete jogos e avança o time que conquistar quatro vitórias primeiro.

Pôster: quando um jogador enterra a bola mesmo com a marcação de um adversário entre ele e a cesta, lance que costuma gerar uma foto digna de um pôster. Também é comum dizer que o atleta “posterizou” o oponente. 

Screen (corta-luz): manobra que consiste em bloquear um marcador para liberar o caminho de um companheiro de equipe. Assim, contra uma defesa sólida, a técnica é uma ideia excelente de aumentar as chances de conversão do ataque.

Sexto homem: é o primeiro jogador a sair do banco de reservas e muitas vezes possui um papel fundamental de mudar o ritmo do jogo, manter o plano tático ou dominar os reservas adversários. 

Stepback: essa manobra ocorre quando o marcador acredita que o seu oponente irá dar um passo à frente, mas, na verdade, ele recua um passo, abre espaço e arremessa. Diversos jogadores são mestres em fazer este movimento, como o caso de James Harden, Stephen Curry e Luka Doncic.

Timeout: é o momento que a comissão técnica pede uma pausa durante a partida. Na NBA, uma equipe tem a oportunidade de solicitar seis timeouts durante o jogo. Essas pausas duram 1 min e 40 segundos, geralmente chamados de intervalos de 100 segundos. No caso de prorrogação, são concedidos mais dois tempos extras (de 60 a 100 segundos).

Triplo-duplo (triple-double): um atleta faz um triplo-duplo quando termina o jogo com ao menos dez execuções em três das cinco principais estatísticas (pontos, assistências, rebotes, tocos e roubos de bola), ou seja, três fundamentos com dígitos duplos.

Turnover: é a inversão da posse de bola, que ocorre geralmente durante uma jogada de ataque que não é concluída com investida à cesta. Pode-se perder a bola deixando-a ir para fora dos limites da quadra, ao errar um passe, ter a bola tomada durante um drible ou cometer uma falta de ataque.

Two-way player: são jogadores que se destacam nos dois lados da quadra, no ataque e na defesa.

3-and-D: são os jogadores especializados em bolas de três pontos (“3”) e em defender (“D”), que cumprem quase exclusivamente essas funções em suas equipes.

Últimas