COI fará reunião com federações para planejar classificatórias dos Jogos

Preocupação com a pandemia leva entidade a orientar funcionários a trabalharem de casa. Primeiro-ministro do Japão mantém discurso de que os Jogos de Tóquio ocorrerão em julho

Lance

Lance

Lance

Os efeitos do novo coronavírus sobre as classificatórias para os Jogos Olímpicos de Tóquio-2020 serão debatidos nesta terça-feira pelo presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, com as federações internacionais, por videoconferência. Com 42 dos 50 esportes do programa afetados por causa da doença, a entidade fará um balanço da gravidade do problema.

A reunião deverá tratar das novas datas no processo de obtenção de vagas para os Jogos. No início de março, Bach havia garantido que o COI teria flexibilidade em relação às qualificações. Na ocasião, o dirigente disse que todos os atletas deveriam continuar se preparando. Na última quinta-feira, ele reconheceu a gravidade do cancelamento de competições de qualificação.

Até o momento, o COI e as autoridades japonesas mantêm o discurso de que os Jogos Olímpicos acontecerão na data prevista, entre 24 de julho e 9 de agosto. Mas até a entidade máxima do esporte olímpico orientou seus funcionários a trabalharem de casa, por precaução.

No sábado, o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, afirmou que não tem intenção de decretar situação de emergência. O país registou mais de 700 pessoas infectadas, com 21 mortes.

– Vamos organizar os Jogos Olímpicos conforme planejado, sem problemas, controlando a disseminação do vírus – declarou Abe.

O japonês se encontrou com o presidente dos EUA, Donald Trump, na sexta-feira, depois das declarações do líder americano defendendo o adiamento dos Jogos. Ele afirmou que a possibilidade não foi comentada na conversa.

– Concordamos que o Japão e os Estados Unidos cooperarão e se coordenarão estreitamente para o sucesso dos Jogos – disse o primeiro-ministro japonês.