COB adquire aparelhos de ginástica que serão utilizados na Olimpíada

Seleção Brasileira já utiliza os novos equipamentos no Centro de Treinamento Time Brasil

Lance

Lance

Lance

O Comitê Olímpico do Brasil (COB), em parceria com a Confederação Brasileira de Ginástica (CBG), anunciou a compra dos equipamentos que serão utilizados nas competições de ginástica artística em Tóquio-2020. Eles já estão sendo utilizados pelos atletas no Centro de Treinamento Time Brasil, no Rio de Janeiro.

A decisão foi tomada após a Federação Internacional de Ginástica (FIG) selecionar as marcas Senoh e Spieth como as empresas responsáveis pelo fornecimento de equipamentos nos Jogos Olímpicos.

– O compromisso do COB é proporcionar aos atletas brasileiros os melhores equipamentos à disposição para que suas preparações sigam da melhor maneira possível. Ao treinar com os aparelhos oficiais dos Jogos Olímpicos de Tóquio, os ginastas da seleção têm condições de se adaptar mais adequadamente e apresentar todo seu potencial na competição – afirmou o diretor de Esportes do COB, Jorge Bichara.

Desde a inauguração do Centro de Treinamento de Ginástica Artística, no Rio de Janeiro, em 2015, o COB disponibiliza equipamentos de ponta aos atletas, de quatro marcas diferentes. Eles são utilizados de acordo com os aparelhos definidos por cada competição.

– Cada aparelho, de cada marca, tem uma característica diferente. Então, treinar antecipadamente com este equipamento é essencial para a nossa preparação. No caso das argolas, há diferença no amortecedor, já chegarei a Tóquio sabendo como tensionar os cabos do jeito que gosto. Não é simplesmente chegar na competição e testar na hora, é preciso saber ajustar o aparelho – explica o campeão olímpico nas argolas, Arthur Zanetti.

– Como há diferença entre os aparelhos, já podemos ir nos familiarizando com esses. No caso da barra fixa, temos que ver os cabos, a tensão da barra. Se podemos treinar com aparelhos que são iguais aos que vamos encontrar em Tóquio, melhor – complementa o campeão mundial na barra fixa, Arthur Nory.

O COB informou que investiu ainda em um medidor de tensão, que serve para todos os aparelhos de fixação (barras assimétricas, barra fixa e argolas). Com este aparelho, um sinal luminoso será emitido sempre que a tensão estiver muito alta ou baixa. Este dispositivo será obrigatório pela FIG para ajustes em competições oficiais.