Lance Ao lado da família, Marcelinho Carioca desabafa após sequestro: 'Que bom estar de volta'

Ao lado da família, Marcelinho Carioca desabafa após sequestro: 'Que bom estar de volta'

Ex-jogador foi liberado pelos sequestradores nesta segunda-feira (18)

Lance

Marcelinho Carioca publicou vídeo ao lado da família e comentou sobre seu retorno para casa, após ser libertado de um sequestro em Itaquaquecetuba, região da Grande São Paulo. O ex-jogador foi resgatado na última segunda-feira (18).

➡️ Siga o Lance! Fora de Campo no WhatsApp e saiba o que rola fora das 4 linhas

O ídolo do Corinthians contou que foi sequestrado por três homens armados na noite de domingo (17), após show realizado na Neo Química Arena, quando encontrou uma amiga. Cinco pessoas devem ser presas, e a polícia ainda investiga a participação de outros suspeitos.

- Que bom estar de volta em casa, do lado de pessoas que realmente a gente ama. Toda a minha família aqui me esperando, torcendo por mim. Não só eu tô feliz, mas muita gente que torce por mim está feliz. Não só eu estou feliz, mas muita gente que torce por mim está, também. Eu agradeço a Deus pela minha vida, pela vida da minha amiga, da Taís, que está agora ao lado dos seus dois filhos, ao lado das pessoas que a amam, que ela é uma mulher digna correta - disse, também abordando a situação da amiga Thaís, que acabou sequestrada junto com ele.

Segundo Marcelinho Carioca, os criminosos o obrigaram a gravar um vídeo onde aparece com olho roxo dentro de uma casa, ao lado da amiga. Na filmagem, ele afirma que foi abordado pelo marido da mulher, e o sequestro teria acontecido por ele se envolver com Thaís, que seria casada.

➡️ Vampeta revela pagamento parcial de valor após sequestro de Marcelinho Carioca

- Se você está com revólver apontado na sua cabeça e você é coagido a fazer um vídeo daquele, não tem como. Você vai pensar na sua vida. Fui obrigado a fazer aquele vídeo, só que não colou. Não cola, porque eu fui no show da Neo Química Arena com um casal de amigos, somente nós três, e saí de lá sozinho. Fui encontrar os amigos e a Thaís em Itaquá para entregar os ingressos do show de domingo, onde eu não poderia estar.

- Só que aconteceu toda essa fatalidade, esse desespero, esse sequestro-relâmpago, duas três ruas acima, aquele baile funk, o fluxo, passando várias pessoas. Quando saí para cumprimentar todo mundo, já vieram três armados, desesperados, colocando pessoas dentro do carro. Uma terceira pessoa quase entrando, saiu, mas aí tudo que aconteceu dentro do cativeiro. Desesperador - completou.

Confira abaixo, na íntegra, o vídeo publicado por Marcelinho Carioca com a família:

Últimas