Além do empate: Alexandre Campello é hostilizado e Carlos Leão discute com torcedores

Durante o empate com o Resende, presidente do Vasco e conselheiro aliado são alvos de torcedores presentes na arquibancada do Estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda

Lance

Lance

Lance

O Vasco empatou com o Resende na estreia das equipes na Taça Rio, em partida disputada em Volta Redonda. Só que além do resultado insatisfatório, o clima na reta final e após o fim do jogo esteve longe dos melhores no Estádio Raulino de Oliveira. O presidente do clube, Alexandre Campello, foi hostilizado, e o conselheiro Carlos Leão, ligado ao mandatário, discutiu com torcedores.

De acordo com o site Globoesporte.com, Campello ouviu de pedidos de pagamentos de salários aos jogadores e funcionários até cobranças e vaias. O dirigente, então, tentou dialogar com dois torcedores mais incisivos.

Já Leão alegou ter sido ofendido de forma mais acintosa e respondeu de forma a deixar o clima quente. Ânimos acalmados, os dirigentes deixaram a área reservada sem maiores transtornos.

Benítez na área
Segundo reforço para a temporada, o argentino Martín Benítez assistiu à partida ao lado do presidente do clube. A expectativa é de que ele possa estar à disposição para o jogo contra o ABC, nesta quinta-feira, pela Copa do Brasil.

Nem ele nem os demais jogadores falaram com a imprensa. É oficial que desde a última quarta-feira, os atletas não concederão mais entrevistas enquanto os salários estiverem atrasados no nível atual.

Atualmente, estão em atraso no Vasco:

- Para jogadores: dezembro, férias, segunda parcela do 13º e janeiro. Direitos de imagem de alguns jogadores.

- Funcionários acima de R$ 1.800: dezembro, férias, 13º e janeiro.

- Funcionários abaixo de R$ 1.800: férias, 13º e janeiro.