Lance Adversário de estreia do Vasco na Copinha, Capital tenta driblar obstáculos por feito histórico

Adversário de estreia do Vasco na Copinha, Capital tenta driblar obstáculos por feito histórico

Rei do Cerrado tenta sua primeira vitória na competição nesta quarta-feira (4). Equipe tocantinense lida com percalços de temporada...

Lance
Lance

Lance

Lance

A superação move o Capital em sua trajetória no Grupo 29 da Copa São Paulo de Futebol Júnior. Adversário do Vasco nesta quarta-feira (4), às 19h45, no Estádio Mário José Liberati, o clube tocantinense busca sua primeira vitória na história da competição. Em três participações anteriores, foram oito derrotas e apenas um empate (em 0 a 0 com o Osvaldo Cruz).

O Rei do Cerrado ainda lida com um obstáculo mais complicado: sua rotina é sazonal. Foram apenas 12 jogos na temporada passada.

Dirigente das categorias de base, Denir Maurício não escondeu que há uma sucessão de desafios para a montagem.

- Trata-se de uma base que disputou o Estadual mas não tem um calendário ajustado. Nossa competição acabou no meio de setembro e voltamos só agora. Nosso planejamento fica muito difícil - constatou ao LANCE!, acrescentando:

- De qualquer forma, acredito que, com nossa luta, vamos chegar da melhor forma possível. Temos um planejamento muito criterioso de mapeamento de jogadores - completou.

A equipe tenta compensar a falta de uma sequência de jogos.

- Neste retorno fazemos muitos treinos, tentamos organizar amistosos, mas quer queira ou não, não é a mesma coisa. Sabemos que o Vasco tem uma realidade bem diferente, jogadores melhores, só que buscamos captadores de confiança para formar um time forte - disse.

NA BASE DA SUPERAÇÃO

capital to seju governo do tocantins

capital to seju governo do tocantins

Lance

Wilsomar Sena: 'Tentaremos fazer o possível dentro do impossível'


Em meio a tantos desafios, o técnico Wilsomar Sena luta para deixar o Capital em plenas condições de sonhar com um novo rumo na Copinha.

- Estamos trabalhando dia a dia a construção da equipe. Sabemos que é difícil, que nosso período de trabalho é curto, mas tentamos dar qualidade ao que fazemos - afirmou.

O treinador constatou que a falta de ritmo pesa para o elenco.

- Nossa rotina é sazonal. Temos o Estadual Sub-20, no qual fizemos 11 jogos, e fizemos outro pela Copa do Brasil Sub-20. Além disso, perdemos cinco atletas por lesão - disse.

Sena valoriza a maneira como o Capital se empenha para fortalecer a sua base. Porém, está ciente dos desafios.

- Nossa estrutura zela pela construção da equipe com pés no chão. Mas sabemos que não dá para competir com a maneira como o Vasco é organizado - disse.

Ao projetar o duelo com o Cruz-Maltino, Wilsomar Sena foi taxativo.

- Estaria mentido se dissesse que vamos de peito aberto. Temos 29 dias de trabalho. Não conseguimos impor do jeito que queríamos nosso peito aberto. Sabemos que nossos adversários no grupo, a começar pelo Vasco, estão num nível acima. Por isso, devemos jogar de maneira mais reativa - afirmou.

O treinador traçou um panorama do que os torcedores podem esperar do Rei do Cerrado nessa Copinha.

- Um time bastante aguerrido, brigando pelos sonhos. Talvez alguns não consigam realizar, mas podem ajudar a outros a realizarem. Nosso grupo é fantástico em vontade e companheirismo - definiu.

Aos seus olhos, o Capital quer usar a vontade a seu favor.

- Muito tempo sem competir, pouco tempo de treinamento é bem complicado, mas podemos utilizar a superação para fazer o nosso melhor. Tentaremos fazer o possível dentro do impossível - disse.

O Capital vai na base da luta nessa quarta-feira (4) diante do Vasco.

Últimas