Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

Na súmula, árbitro relata tentativa de agressão de dirigentes do Botafogo: ‘Veio para roubar’

Braulio da Silva Machado também cita na súmula arremessos de copos sobre a equipe de arbitragem e xingamentos dos cartolas

Jogada 10

Jogada 10|Do R7


Braulio citou dirigentes do Botafogo na súmula
Braulio citou dirigentes do Botafogo na súmula

O árbitro Braulio da Silva Machado (Fifa-SC), que conduziu a partida entre Botafogo e Palmeiras, relatou que dirigentes alvinegros tentaram o agredir após o apito final. Na súmula, disponibilizada quase três horas depois do término do jogo, o juiz relatou que Vinicius Assumpção, vice-presidente da SAF, André Mazzuco, diretor de futebol, e Pedro Moreira, gerente de futebol, ofenderam à equipe de arbitragem de forma constante.

“Ao descer e adentrar a área mista, fomos abordados por diversas pessoas. Sendo estas diretores, dirigentes da SAF Botafogo e até mesmo seguranças que partiram para cima da equipe de arbitragem, empurrando o policiamento. Além de protestar aos gritos e de forma ofensiva e grosseira as seguintes palavras: Vagabundo, ladrão, sem vergonha, viado, filho da p*, veio aqui para roubar‘ por repetidas vezes. Essa situação perdurou até o final da zona mista. Onde o policiamento conseguiu conter os mesmos e adentramos ao vestiário de arbitragem”, diz um trecho do documento.

Clique aqui e receba as notícias do R7 Esportes no seu Whatsapp

Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp

Publicidade

Compartilhe esta notícia pelo Telegram

Textor na bronca

Além disso, o árbitro também cita a presença de pessoas não autorizadas dentro de campo, logo após o apito final. Caso, por exemplo, de John Textor, acionista majoritário do Glorioso. O empresário teceu duras críticas à Confederação Brasileira de Futebol na saída do gramado e afirmou ver um “roubo” no Nilton Santos. Aliás, Braulio relatou que o norte-americano fez gestos afrontosos em direção à arbitragem no gramado.

Publicidade

“No momento em que estávamos dentro do campo de jogo, constatei a presença de pessoas não relacionadas e/ou credenciadas. Elas invadiram o campo de jogo e se aproximaram da equipe de arbitragem. Sendo elas: o atleta Patrick de Paula, que protestou com palavras que não conseguimos identificar devido ao números de pessoas no entorno. E o proprietário da SAF Botafogo, Sr. John Textor, que após conversar com o jogadores de sua equipe e saudar a torcida, se aproxima da equipe de arbitragem aplaudindo de forma irônica, seguido de gestos com referência a dinheiro tocando o polegar ao dedo indicador de uma das mãos repetidas vezes em direção à equipe de arbitragem“, relatou.

O juiz ainda descreveu na súmula a também expulsão de Joel Carli, auxiliar técnico de Lucio Flavio na atual comissão do Botafogo. Afinal, segundo o próprio documento, o ex-zagueiro argentino teria feito reclamações acintosas em direção à arbitragem. Além disso, assim como Textor, declarou que o Alvinegro estava sendo roubado, contestando, por sinal, a expulsão de Adryelson após lance com Breno Lopes, no segundo tempo.

De 7 a 1 a 5 a 0: confira goleadas históricas do Brasileirão e veja se o seu time está na lista

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.