Futebol Vacinas da Conmebol precisam ser passadas ao SUS, diz Anvisa

Vacinas da Conmebol precisam ser passadas ao SUS, diz Anvisa

Se aplicada no Brasil, imunização precisará obedecer critérios de prioridade previstos pelo Ministério da Saúde

Reuters - Esportes

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) informou nesta quarta-feira (14) que as vacinas doadas pela chinesa Sinovac à Conmebol para imunizar jogadores terão de ser repassadas ao SUS (Sistema Único de Saúde) para serem utilizadas caso entrem no Brasil.

A Anvisa esclareceu, em nota, que não recebeu, até o momento, pedido de importação dos imunizantes, e que qualquer pedido nesse sentido deve seguir a lei recentemente aprovada pelo Congresso Nacional que só autoriza a importação de vacinas contra covid-19 por pessoas jurídicas desde que sejam integralmente doadas ao SUS.

Ação da Conmebol causou polêmica fora de campo

Ação da Conmebol causou polêmica fora de campo

Tânia Rego/Agência Brasil

Somente após o término da imunização dos grupos prioritários previstos pelo Ministério da Saúde as pessoas jurídicas poderão adquirir, distribuir e administrar vacinas, mesmo assim desde que pelo menos 50% das doses sejam obrigatoriamente doadas ao SUS e as demais sejam utilizadas de forma gratuita, acrescentou a agência.

Na véspera, a Conmebol informou que receberá 50 mil doses de vacinas contra covid-19 doadas pela Sinovac para imunizar jogadores de futebol profissionais que participam de torneios de primeira categoria.

Ex-atacante Dinei recebe críticas ao postar foto sem máscara no metrô

Últimas