Futebol Turquia adia sem prazo determinado todas as partidas de futebol após agressão a árbitro

Turquia adia sem prazo determinado todas as partidas de futebol após agressão a árbitro

Profissional levou um soco do presidente do Ankaragücü e chutes e pontapés de outras pessoas ligadas ao clube

Agência EFE
Árbitro foi agredido depois de expulsar um jogador

Árbitro foi agredido depois de expulsar um jogador

Reprodução Twitter @SelecaoTalk

A Federação Turca de Futebol (TFF, em inglês) anunciou o adiamento de todas as partidas em todas as ligas profissionais do país como medida disciplinar após um árbitro ter sido agredido na noite de segunda-feira, depois do empate em 1 a 1 entre Ankaragücü e Rizespor.

"Condenamos veementemente o ataque vil e desumano contra o árbitro Halil Umut Meler, licenciado pela Fifa, por criminosos desconhecidos após o jogo da Superliga. A diretoria da federação decidiu adiar os jogos em todas as ligas sem data definida", diz o comunicado da TFF emitido nesta manhã, após uma reunião urgente da cúpula da entidade.

Clique aqui e receba as notícias do R7 Esportes no seu Whatsapp
Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo Telegram
Assine a newsletter R7 em Ponto

A partida entre Ankaragücü e Rizespor, realizada no estádio Eryaman, em Ancara, terminou em 1 a 1 depois que o Ankaragücü marcou o primeiro gol aos 14 minutos do primeiro tempo e, aos 52 da segunda etapa, o Rizespor empatou.

Os torcedores do time da casa protestaram contra o segundo cartão amarelo recebido pelo atacante Ali Sowe, do Ankaragücü, aos 50 minutos do segundo tempo, o que resultou em sua expulsão, mas um jogador do Rizespor também foi expulso por um duplo amarelo aos 50 minutos do segundo tempo.

Imediatamente após o final da partida, o presidente do Ankaragücü, Faruk Koca, desceu ao gramado e deu um soco no rosto do árbitro, um ataque que foi acompanhado por várias outras pessoas e terminou com o árbitro caído no chão, onde foi alvo de chutes antes de ser resgatado por uma intervenção policial.

"Esse ataque não foi cometido apenas contra Halil Umut Meler, mas contra todos os envolvidos no futebol turco. Todas as medidas punitivas serão aplicadas contra os autores e instigadores desse ataque. O clube responsável, o presidente do clube, os gerentes e aqueles que agrediram Halil Umut Meler serão punidos da maneira mais séria", prometeu a federação.

De acordo com a entidade, "todos aqueles que incentivam ataques a árbitros são cúmplices desse crime: presidentes de clubes, dirigentes, técnicos, jogadores e comentaristas de TV".

Vários ministros condenaram o incidente ainda na noite de segunda-feira, assim como o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, que desejou ao árbitro uma rápida recuperação em mensagem na rede social X (ex-Twitter).

"Esporte é paz e fraternidade. Jamais permitiremos a violência no esporte turco", publicou o mandatário.

O técnico do Ankaragücü, Emre Belozoglu, pediu desculpas pelo incidente em nome da equipe. "Não há nada que possa ser dito, apenas que lamento muito", disse.

Depois de uma internação hospitalar por problemas cardíacos, Koca foi levado ao tribunal nesta manhã, e a polícia também prendeu outras cinco pessoas suspeitas de envolvimento na agressão.

Koca, um empresário de 59 anos que foi membro do parlamento pelo partido islâmico AKP, o mesmo de Erdogan, de 2002 a 2011, foi presidente do Ankaragücü, um clube fundado em 1910 que normalmente joga na Super Liga, nos últimos dois anos. As manifestações de turcos nas redes sociais têm aumentado, pedindo a renúncia de Mehmet Büyükeksi, presidente da TFF, por não ter evitado tal incidente e por considerar inadequada a decisão de adiar todas as partidas. 

Fluminense vai ficar em hotel com diária superior a R$ 5.000; conheça

Últimas