Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Ramon diz que não haverá amistoso da seleção com Senegal, se houver novo episódio de racismo

O treinador garantiu 'tolerância zero' caso se repita o que aconteceu antes de Brasil X Guiné, quando um amigo de Vini Jr. foi vítima de racismo na entrada do estádio

Futebol|

Ramon prometeu 'tolerância zero" com racismo
Ramon prometeu 'tolerância zero" com racismo Ramon prometeu 'tolerância zero" com racismo

O técnico Ramon Menezes garantiu 'tolerância zero' no amistoso contra o Senegal em caso de um novo episódio de racismo. Segundo o treinador, se o fato se repetir, como ocorreu em Barcelona, antes do jogo com a Guiné, a seleção brasileira não disputará a partida. "Com racismo não tem jogo", disse, nesta segunda-feira (19), em entrevista coletiva.

Compartilhe esta notícia no WhatsApp

Compartilhe esta notícia no Telegram

No sábado, antes da vitória do Brasil, por 4 a 1, no amistoso com a Guiné, em Barcelona, um membro do estafe do atacante Vinícius Jr. foi vítima de racismo ao ingressar no estádio Cornellà-El Prat, onde ocorreu o jogo. Durante a revista para a entrada no local, Felipe Silveira, amigo do jogador do Real Madrid, foi repreendido por um segurança, que teria dito "Mãos ao alto, essa é minha arma para você" e apontado uma banana para ele.

Continua após a publicidade

Sobre a partida com o Senegal, Ramon espera um jogo difícil e que vai testar bastante a seleção, que visa à preparação para a disputa das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2026, a partir de setembro. "Trata-se de um time muito forte, técnica e fisicamente, com boa transição ofensiva e defensiva."

Ramon também fez elogios a Malcom, que será o substituto de Rodrygo, afastado do amistoso. O jogador do Real Madrid sofre com dores no joelho direito. "O Malcom tem um bom histórico na seleção. Um jogador que atuou muito bem nesta temporada, com vários gols. Nesta função dele, é importante que se façam gols. Ele entendeu bem o trabalho, entrou bem no último jogo, sofreu pênalti. Esperamos pelo talento dele e ajuda defensiva."

Saiba quem é Carlo Ancelotti, técnico que fechou acordo verbal para comandar a seleção

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.