Futebol Polícia identifica autores de ameaças de morte contra Cássio, do Corinthians

Polícia identifica autores de ameaças de morte contra Cássio, do Corinthians

Segundo investigação, cinco pessoas são suspeitas de terem mandado textos e áudios exigindo a saída do goleiro do Timão

  • Futebol | Do R7

A Polícia Civil de São Paulo identificou nesta sexta-feira (8) cinco pessoas que são suspeitas de ser os autores das ameaças de morte contra o goleiro Cássio, do Corinthians, segundo reportagem veiculada hoje de manhã no programa Fala Brasil, da Record TV. O jogador recebeu mensagens de áudio e texto na quinta-feira (7) que pediam sua saída do clube paulista após os maus resultados na reta final do Paulistão 2022 e na estreia da Libertadores. 

Cássio procurou a polícia assim que recebeu as ameaças. Segundo Cesar Saad, delegado da Polícia Civil, o goleiro chegou visivelmente abalado à delegacia para fazer o boletim de ocorrência. "Ele chegou aqui na base chorando, muito nervoso porque a mulher ligou para ele e falou que queria ir embora do Brasil", disse Saad.

Cássio recebeu ameaças de morte, inclusive foto de revólver, pedindo sua saída do Corinthians

Cássio recebeu ameaças de morte, inclusive foto de revólver, pedindo sua saída do Corinthians

Rodrigo Coca / Agência Corinthians

Os apontados como responsáveis pelas ameaças devem ser ouvidos ainda hoje pelos policiais. A investigação deve ouvir também outras pessoas ligadas ao goleiro, às torcidas organizadas e ao Corinthians. 

Na manhã desta quinta-feira (7), 14 torcedores organizados foram até o CT Joaquim Grava e tiveram autorização para conversar com alguns jogadores sobre os maus resultados. Eles também fizeram cobranças ao técnico Vítor Pereira, ao presidente Duilio Monteiro Alves e aos dirigentes responsáveis pelo futebol Roberto de Andrade e Alessandro.

De acordo com o delegado da Polícia Civil, a torcida organizada do Timão negou ter participação nas ameaças. "Eles procuraram tanto o Corinthians como a delegacia para dizer que não têm participação nisso", afirmou. 

Áudios e fotos com ameaças foram enviados ao jogador por meio do personal trainer de sua esposa. As mensagens foram feitas pelo Instagram e partiram de um perfil identificado como "$heik Caçador".

Em uma das imagens, aparecem um revólver e balas em cima de uma camisa do Timão. “Você avisa para ela que nós vamos encontrar ela. Aqui não tem fã de Cássio não, tá, irmão? E é o seguinte, quando nós encontrarmos, nós vamos esculachar, você entendeu? O recado está dado. Ou pede para sair ou está ligado. Agora o chicote vai estralar, entendeu? Ou a coisa vai ficar mais embaixo. É questão de tempo. Eu não sei o que nós vamos fazer, matar eu não sei, entendeu? Mas a gente vai achar e esculachar, entendeu?" (sic), diz um dos áudios enviados. 

Após o ocorrido, o Corinthians publicou uma nota de repúdio sobre as ameaças, em que afirmou ter acionado a Delegacia de Polícia de Repressão aos Delitos de Intolerância Esportiva.

Nota oficial do Corinthians sobre as ameaças:

"O Sport Club Corinthians Paulista repudia veementemente quaisquer manifestações criminosas de ameaça à integridade física de atletas – e seus familiares – da nossa centenária instituição.

A cobrança pacífica à equipe por resultados faz parte da cultura do futebol, porém, quando a vida de qualquer um é colocada em risco, o protesto se torna crime e não pode passar impune.

O Clube já acionou a Delegacia de Polícia de Repressão aos Delitos de Intolerância Esportiva (Drade) e outros departamentos para tomar todas as medidas cabíveis e assim garantir a segurança de todos os atletas. É lamentável esse tipo de atitude. Isso é crime e deve ter punição."

Éric Abidal, ídolo do Barcelona, é investigado por tráfico de órgãos

Últimas