Futebol MP-SP pede abertura de processos contra ex-mulher de Dudu

MP-SP pede abertura de processos contra ex-mulher de Dudu

Mallu Ohana, ex-esposa do jogador, poderá responder pelos crimes de lesão corporal, ameaça, injuria e coação de testemunha

  • Futebol | Marcos Rosendo, da Agência Record

Ministério Público pede abertura de quatro processos contra ex-mulher do jogador Dudu

Ministério Público pede abertura de quatro processos contra ex-mulher do jogador Dudu

Lance!

Mallu Ohana, ex-mulher do jogador Dudu, que jogava no Palmeiras, poderá responder pelos crimes de lesão corporal, ameaça, injuria, coação de testemunha, perturbação de tranquilidade e dano. O MP (Ministério Público) de São Paulo solicitou a abertura de processos Mallu, na Justiça de SP, depois que Dudu foi considerado inocente das acusação de agressão feita por ela.

Segundo decisão do promotor Fernando Venega Coradini, substituto da Vara Central de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher do estado de São Paulo, também pede a abertura de processo por falso testemunho contra duas amigas da ex-mulher do jogador. Em janeiro deste ano, o relatório final da Polícia Civil que investigou as denúncias de Mallu contra o jogador Dudu concluiu pela inocência do atleta.

A conclusão do inquérito da Polícia Civil se deu no último dia 19 e inocentou Dudu das acusações de violência contra a mulher. De acordo com a delegada Adonilza Lopes de Oliveira, responsável pela da 9ª DDM (Delegacia de Defesa da Mulher), não havia elementos para indiciar o ex-jogador do Palmeiras.

Inquérito policial

O inquérito policial analisou imagens de circuito de segurança do prédio onde teria ocorrido a agressão, ouviu testemunhas e familiares das partes, além de analisar o conteúdo de mensagens enviadas nas redes sociais.

A delegada relata que "a alegação da vítima, em declarações, de que foi lesionada, na garagem, dentro e fora do veículo, não se sustenta quando confrontada com prova testemunhal corroborada por Laudo Pericial." A polícia concluiu também que não há provas suficientes que indiquem que Mallu foi agredida dentro do veículo e na garagem.

O laudo pericial aponta que a mulher sofreu apenas lesões corporais leves, que não condizem com os relatos feitos por Mallu. A polícia entendeu que essas lesões foram provocadas quando a moça avançou contra o jogador e quando ela mesma se arranhou.

Segundo o documento: "conclui-se não ser possível afirmar com certeza que as lesões leves ostentadas pela vítima foram causadas pelo investigado, contudo, em sentindo contrário, pode-se afirmar seguramente que as lesões apresentadas pelo investigado foram praticadas pela vítima."

Delegada pede abertura de processos contra Mallu

A doutora Adonilza Lopes de Oliveira, responsável pelo caso envolvendo Dudu e a ex-esposa, além de concluir pelo não indiciamento do jogador, recomendou que o MP enquadrasse Mallu pelos crimes de lesão corporal, ameaça, injuria, coação de testemunha, perturbação de tranquilidade e dano.

Segundo o inquérito policial, não é possível constatar qualquer agressão de Dudu (em nenhum momento). De acordo com a polícia, porém, diante da investigação realizada ao longo dos meses, ficou claro que a Mallu agrediu o Dudu.

O inquérito aponta, ainda, que a versão sustentada por Dudu, desde o início, se confirmou ao longo dos depoimentos e por provas, imagens e testemunhas intimadas no processo.  Por outro lado, em diversas situações, a acusação entrou em contradição em várias partes do depoimento, confrontando tudo o que foi apurado pelos investigadores.

O documento também acusa, de forma categórica, que a Mallu, mais uma vez, faltou com a verdade no episódio ocorrido no Carnaval, em São Paulo, onde ela se dizia vítima. De acordo com o relatório, a delegada tira a Mallu do papel de vítima e a coloca como agressora.

No inquérito também constam as ameaças de Mallu a duas testemunhas de Dudu ao longo do inquérito, atitudes que levaram Mallu a ser formalmente acusada na mesma delegacia.

O documento, além de tudo, reforça a colaboração plena de Dudu, desde o início das acusações, ressaltando que o jogador compareceu à delegacia mais de uma vez, cedeu o celular para perícia, onde não foi constatado qualquer elemento que colocasse em prova suas declarações.

Imagens contradizem Mallu

Dudu foi acusado de agredir a ex-mulher em 22 de junho de 2020, na zona oste de São Paulo. O laudo de mais de 250 páginas detalha cada imagem apresentada pela defesa do jogador, desde a chegada ao condomínio em que o casal morava, até a área social, garagem e na rua do prédio.

Segundo o que foi analisado pelas câmeras se segurança não é possível verificar em nenhum momento atos de agressão do jogador Dudu contra Mallu. Pelo contrário, a perícia concluiu que, pelas imagens, a única pessoa que pratica qualquer ato de violência é a ex-esposa do jogador. 

"Sim. Mallu adentrou no veículo desferindo golpes, com as duas mãos, contra Eduardo, em seguida se sobrepôs a ele, onde permaneceu golpeando-o.", diz o documento.

No entanto, a própria perícia concluiu que não é possível saber o que aconteceu dentro do veículo, uma vez que duas pessoas cobrem a porta do carro e as câmeras não conseguem gravar o ocorrido. O laudo relata também que o jogador aparenta estar calmo e que tentou deixar o local do conflito mais de uma vez.

Também não há indícios de que as imagens foi editadas ou adulteradas de alguma forma, para favorecer alguma das partes.

Dudu deixa polêmicas e canta para noiva no Qatar: 'sabe que sou eu'

Últimas