Futebol Luís Castro reconhece apoio da torcida após derrota do Botafogo: 'Não fomos covardes'

Luís Castro reconhece apoio da torcida após derrota do Botafogo: 'Não fomos covardes'

Alvinegro começou bem no Estádio Nilton Santos, abriu o placar, mas não foi capaz de parar o líder Palmeiras

  • Futebol | Do Live Futebol BR

Luís Castro exaltou a postura do Botafogo na derrota para o Palmeiras

Luís Castro exaltou a postura do Botafogo na derrota para o Palmeiras

Vitor Silva/Botafogo

O técnico Luís Castro destacou o apoio da torcida do Botafogo mesmo depois da derrota para o Palmeiras, de virada por 3 a 1, nesta segunda-feira, no Estádio Nilton Santos. Tiquinho Soares marcou para o Glorioso, e Gustavo Scarpa, Mayke e Dudu fizeram para o Verdão.

A torcida alvinegra continou cantando e vibrando com a atuação do time que, mesmo derrotado, não se entregou diante do favorito ao título do Brasileirão. Em entrevista coletiva, o treinador português exaltou os gritos entoados nas arquibancadas.

"Hoje fiquei satisfeito pela manifestação de apreço à equipe, foi o reconhecimento primeiro de que competimos, e depois que nós não nos acovardamos, não fomos covardes, quisemos sempre jogar. Tivemos pela frente um grande adversário, que tem 10 pontos de vantagem sobre o segundo, que é bicampeão da Libertadores, uma equipe consolidada. Nossa torcida reconheceu nosso trabalho e que não fomos covardes. Acabamos com dois pontas, com Jeffinho de 10, com muitos jogadores na frente, quisemos ir à procura da nossa sorte, com o coração também", disse.

Em franca evolução na competição, saindo do risco de rebaixamento e pulando para o grupo de equipes que brigam por uma vaga na Libertadores, o Botafogo deu resposta rápida quando teve seu elenco reformulado. O reconhecimento veio e Luís Castro afirmou que sempre irá entender as reações dos torcedores.

"Respeito muito aquilo que são os torcedores do Botafogo, quando se manifestam de forma positiva ou negativa. Acontece o mesmo na minha vida, olho para coisas e geram-se sentimentos de agrado ou desagrado. Sentir a vaia custa a todos nós. A quem não custa? Nós trabalhamos muito sempre, mas temos que aceitar. Às vezes há maus desempenhos e isso tem que ser criticado. O ser humano é livre. O que me desagrada é a falta de respeito ao ser humano", afirmou o técnico.

Com 37 pontos e ocupando a 10ª colocação na tabela de classificação, o Botafogo vira a chave e se concentra para o duelo com o Avaí, na próxima quinta-feira (6), às 19h, na Ressacada.

'Botafogo Way' ganha forma: Glorioso inicia relação entre comissões técnicas

Últimas