Futebol Lugano critica arbitragem na final do Paulistão: 'Não há limites'

Lugano critica arbitragem na final do Paulistão: 'Não há limites'

Diego Lugano, superintendente de relações institucionais do São Paulo, reclamou bastante da arbitragem de Luiz Flávio de Oliveira no clássico de sua equipe com o Corinthians, que terminou empatado por 0 a 0, no Morumbi, no duelo de ida da final do Campeonato Paulista. O dirigente não poupou críticas à atuação do juiz e disse que "não há limites".

"Uma não expulsão no início. Uma mão que não foi vista na área adversária. Uma tentativa de encontrar um pênalti pelo VAR aos 50 do segundo tempo. Isto tudo diante de 60 mil são-paulinos. Parece que não há limites. Sorte que nossa gana de ser campeão também é ilimitada", escreveu, em suas redes sociais.

Lugano foi o único da diretoria a reclamar publicamente. Os jogadores evitaram falar da arbitragem, que foi muita vaiada pela torcida do São Paulo desde o início do jogo. Para Lugano, a entrada de Ramiro em Everton Felipe, no início da partida, era para cartão vermelho - o jogador só recebeu o amarelo.

Outro lance criticado pelo dirigente foi ainda no primeiro tempo, quando Everton Felipe chutou a bola, que bateu na mão de Ralf dentro da área. Após alguns minutos de análise do lance pelo VAR, o árbitro de vídeo, o juiz Luiz Flávio de Oliveira avisou que não houve infração. E no final da partida, o VAR verificou ainda um possível pênalti para o Corinthians, nos acréscimos, que também não foi assinalado.