Justiça do Paraguai nega novo pedido de liberdade a Ronaldinho

Juízes do Tribunal de Apelação optaram por manter o craque brasileiro, assim como seu irmão, Assis, detidos em um presídio de Assunção

Ronaldinho e Assis continuarão detidos no Paraguai

Ronaldinho e Assis continuarão detidos no Paraguai

Reprodução/Twitter

Ronaldinho, assim como seu irmão, Assis, seguirão presos no Paraguai. Nesta sexta-feira, os juízes do Tribunal de Apelação Pedro Mayor Martínez, Gustavo Santander e Gustavo Campos, negaram o novo pedido de liberdade do craque brasileiro, detido desde a última semana suspeito de entrar no país com passaporte e documento de identidade adulterados.

O Ministério Público do Paraguai também investiga a participação do ex-jogador em organizações criminosas e em esquema de lavagem de dinheiro.

Na quinta-feira, a defesa de Ronaldinho entrou com um recurso em segunda instância contra a rejeição do pedido de prisão domiciliar feita pelo juiz Gustavo Amarilla, no último dia 10.

Na manhã desta sexta, a polícia fez uma operação de busca e apreensão na casa da empresária Dalia López, responsável por levar Ronaldinho Gaúcho e Roberto Assis para Assunção. Lá encontrou quatro mil bolas promocionais com as mesmas fotos usadas nos documentos adulterados do ex-jogador.

Campo de batalha: duelo entre Grêmio e Inter acaba em pancadaria