Justiça autoriza goleiro Bruno a se mudar de MG e trabalhar no MT

Atleta assinou contrato com o Clube Esportivo Operário Várzea-Grandense, de Várzea Grande, que vai disputar a série D do Brasileirão em 2020

Bruno vai morar em Várzea Grande (MT)

Bruno vai morar em Várzea Grande (MT)

Reprodução / Record TV Minas

A Justiça de Varginha, a 320 km de Belo Horizonte, autorizou o goleiro Bruno Fernandes, de 34 anos, a se mudar para o Estado do Mato Grosso, onde o atleta vai defender o Clube Esportivo Operário Várzea-Grandense. O time disputa a série D do Campeonato Brasileiro em 2020.

De acordo com a decisão do juiz Tarciso Moreira de Souza, o atleta condenado pela morte da modelo Eliza Samudio deve morar na cidade de Várzea Grande, em uma casa cedida pelo contratante.

O contrato incialmente enviado à Justiça foi assinado com o clube no último 10 de janeiro, mas não indica o tempo de duração. Além do Brasileirão, o acordo prevê que Bruno dispute o Campeonato Mato-Grossense, a Copa Verde e a Copa do Brasil.

A liberação para a mudança ainda não havia sido publicada no sistema da Justiça até a manhã desta segunda-feira (20), mas a informação foi confirmada pelo TJMG (Tribunal de Justiça de Minas Gerais). Procurada pelo R7, a defesa do goleiro informou que não vai se manifestar até o documento seja oficialmente divulgado.

O despacho do juiz não indica a data de mudança do atleta. Segundo o TJMG, os detalhes devem ser analisados pelas Justiças mineira e mato-grossense. Por meio de uma rede social neste domingo (19), Bruno confirmou a um seguidor que já está empregado. A reportagem tenta contato com a direção do Várzea-Grandense.

Protesto

O Conselho Estadual dos Direitos da Mulher de Mato Grosso divulgou uma nota de repúdio à contratação de Bruno no time mato-grossense. No texto, o órgão citou a condenação de 20 anos e nove meses do jogador por participação no crime ocorrido em 2010.

"Trata-se de alguém que demonstrou profundo ódio e total desrespeito às mulheres ao tratar dessa forma cruel e bárbara aquela que seria a mãe do seu filho", destacou a nota.

A entidade alegou que o esporte cria ídolos que servem de inspiração para crianças e jovens em formação e, por isto, a contração do goleiro representaria "um fato bastante preocupante".

Outro clube que negociava com o jogador era o Fluminense de Feira de Santana (BA). O time desistiu do acordo após pressão de torcedores.

Solto e nas redes sociais, goleiro Bruno tenta retomar carreira: