Logo R7.com
Logo do PlayPlus
BRASILEIRO 2022
Publicidade

Entenda por que a CBF vai esperar Carlo Ancelotti até 2024

Ednaldo Rodrigues afirma que o italiano é o nome ideal para assumir o lugar de Tite, que deixou a Amarelinha após a Copa

Futebol|Do R7

Carlo Ancelotti era o nome favorito da CBF
Carlo Ancelotti era o nome favorito da CBF Carlo Ancelotti era o nome favorito da CBF

O presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, vai esperar por Carlo Ancelotti até 2024. Em uma entrevista recente, o mandatário explicou os motivos pelos quais é fã do treinador italiano, plano A para suceder Tite no comando da seleção brasileira. Segundo o dirigente, não foram apenas os títulos que o fizeram apostar no técnico do Real Madrid.

Compartilhe esta notícia no WhatsAapp

Compartilhe esta notícia no Telegram

"Acho que é importante iniciarmos o trabalho com aquilo que os atletas gostam. Torcedores e imprensa falam muito bem dele [Ancelotti] também. Não é nenhum desmerecimento aos bons treinadores brasileiros", afirmou Ednaldo.

Publicidade

O presidente da CBF admitiu que não há outro nome na mesa, no momento, tão competente quanto o do italiano. "É um grande gestor de grupo. Aqueles atletas que jogaram com ele têm saudades, o elegem como o melhor treinador da carreira", enalteceu.

"E aqueles novos, que ainda sonham em crescer no futebol, gostariam de ter um treinador como o Ancelotti. Entendo que é um dos melhores treinadores do mundo e que gostaria de treinar uma das melhores seleções do mundo", completou.

Publicidade

Embora não admita, Ednaldo se encontrou com Ancelotti neste mês, em Madri, onde participou de um evento para divulgar o amistoso entre as seleções brasileira e espanhola, agendado para março de 2024. Foi nesse encontro que o mandatário da CBF se acertou com o italiano. 

O longo tempo sem um comandante não é novidade na seleção brasileira. Desde que Tite confirmou sua saída, em 17 de janeiro, são mais de quatro meses inteiros sem um substituto. A última vez que demorou tanto foi logo após a conquista do penta, em 2002. Naquele ano, Luiz Felipe Scolari anunciou, em 9 de agosto, que estava deixando o cargo, e seu sucessor, Carlos Alberto Parreira, só assumiu o time cinco meses depois, em 8 de janeiro de 2003. Se confirmada a espera por Ancelotti, o "recorde" será batido com folga.

E aí, quem vem? Veja a situação de cada um dos cotados a assumir a seleção brasileira

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.