Futebol Em 6 meses de Brasileirão, Palmeiras só tem duas derrotas

Em 6 meses de Brasileirão, Palmeiras só tem duas derrotas

Último revés do Verdão no torneio nacional foi no dia 2 de julho, contra o time reserva do Athletico-PR, atuando no Allianz Parque

  • Futebol | Do Live Futebol BR

Zé Rafael e Fernando Sobral disputam a bola em derrota do Palmeiras para o Ceará no Allianz

Zé Rafael e Fernando Sobral disputam a bola em derrota do Palmeiras para o Ceará no Allianz

CESAR GRECO/SITE OFICIAL DO PALMEIRAS (09.04.2022)

A estreia do Palmeiras no Campeonato Brasileiro está completando seis meses neste domingo (9). De lá para cá, o Verdão foi derrotado na competição apenas duas vezes pelos seus rivais e ambas as partidas em casa.

O primeiro revés veio logo na 1ª rodada do torneio, contra o Ceará, no dia 9 de abril, por 3 a 2, em um Allianz Parque lotado, ainda colhendo os frutos do título paulista que havia ocorrido uma semana antes.

Depois disso, o Verdão emplacou uma sequência de 13 jogos de invencibilidade e chegou a liderança do Brasileirão, local que ocupa desde então e atualmente tem 66 pontos, fazendo com que a diferença para o segundo colocado seja de doze.

A segunda derrota e última no Campeonato Brasileiro ocorreu no dia 2 de julho, também em seus dominíos. Desta vez, o algoz foi o Athletico-PR, atuando com um time reserva, que surpreendeu e ganhou por 2 a 0.

Com esse resultado adverso no Allianz Parque, o Palmeiras engatou 15 partidas sem perder para qualquer rival na competição - marca atual. Sem contar que segue invicto como visitante, também, com 15 confrontos e vem de cinco vitórias consecutivas, sendo assim, as melhores marcas nos respectivos quesitos.

Pela 31ª rodada, o Alviverde, que está precisando de quatro vitórias nos próximos oito duelos para confirmar matematicamente o 11º Campeonato Brasileiro de sua história, visitará o ameaçado pelo rebaixamento à Série B, Atlético-GO, nesta segunda-feira (10), às 18h30, no estádio Antônio Accioly.

Atacante português sofre lesão e está fora da Copa; veja outros nomes que podem não ir ao Catar 

Últimas