Futebol Eduardo reencontra o Fluminense e projeta Clássico Vovô

Eduardo reencontra o Fluminense e projeta Clássico Vovô

Meia é um dos destaques do Botafogo no segundo turno e destacou luta da equipe pelos objetivos da temporada

  • Futebol | Do Live Futebol BR

Eduardo em entrevista coletiva no CT Lonier

Eduardo em entrevista coletiva no CT Lonier

Vitor Silva/Botafogo

Um dos destaques da arrancada do Botafogo no segundo turno do Brasileirão, o meia Eduardo concedeu entrevista coletiva nesta sexta-feira (21) e projetou seu reencontro com o Fluminense, no domingo, às 16h, no Maracanã, pela 33ª rodada.

O jogador passou pelo Tricolor das Laranjeiras no ano de 2009, quando ainda era apenas uma jovem revelação. Agora mais maduro e carregando o peso de ser um dos grandes nomes do Alvinegro, o meia quer esquecer os momentos com a camisa do rival.

"Quem jogou lá foi o Carlos Eduardo, aqui é o Eduardo (risos). Era muito jovem, tinha 18 para 19 anos, tenho gratidão pelo período que passei, foi pouco tempo, mas agora visto a camisa do Botafogo e vou fazer de tudo para vencer o jogo de domingo. Mudou bastante coisa, já se passaram 13, 14 anos. Consegui criar uma maturidade, uma experiência com o passar dos tempos", disse.

O Botafogo chega nas últimas rodadas do Campeonato Brasileiro sonhando com uma vaga na próxima Libertadores. A sequência de jogos do time comandado por Luís Castro, na visão de Eduardo, tem caráter decisivo.

"Estamos com esse foco. Sei que tem também a Sul-Americana, mas nosso foco é entrar, fazer os três pontos e ver no fim do campeonato se deu o G-8 ou se não deu. É trabalho. Queremos ganhar todos os jogos, vamos nessa intenção. Fizemos bons jogos contra essas equipes, acabamos não ganhando o jogo. Mas é com trabalho que mudamos essa situação."

Com as ausências de Tchê Tchê e Lucas Fernandes, foi quebrado o trio de meio-campo considerado ideal no Glorioso. Eduardo, no entanto, ressaltou a confiança de todo o grupo e como os jogadores estão entrosados.

"Temos um grupo muito bom, tanto os volantes, quanto o meio-campo, independentemente de quem joga, vai estar bem preparado. Gostamos quando temos sequência de jogadores ali, mas isso não afeta muito, todos trabalham para jogar, a briga ali está bem difícil. Todos ali vão sempre para dar o máximo, estamos ambientados com todos os jogadores."

Copa do Mundo: conheça os maiores artilheiros da história do torneio

Últimas