Seleção brasileira

Futebol Ednaldo tem recurso negado pelo STJ e segue fora da presidência da CBF

Ednaldo tem recurso negado pelo STJ e segue fora da presidência da CBF

Dirigente pediu para ser mantido no comando, para que pudesse convocar novas eleições, conforme determinação da Justiça

  • Futebol | Do R7

Ednaldo segue fora da presidência após ter recurso negado

Ednaldo segue fora da presidência após ter recurso negado

Rafael Ribeiro/Divulgação/CBF

Ednaldo Rodrigues segue fora da presidência da CBF depois que a presidente do STJ (Superior Tribunal de Justiça), ministra Maria Thereza de Assis Moura, não reconheceu o recurso apresentado pelo dirigente. 

No recurso, o dirigente pedia a anulação de uma das decisões da Justiça do Rio, a que o destituiu do cargo. Com isso, ele pretendia ser o responsável por convocar novas eleições para presidente da entidade nos próximos 30 dias, atendendo a uma das determinações do TJRJ.

Clique aqui e receba as notícias do R7 Esportes no seu WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo Telegram
Assine a newsletter R7 em Ponto

Com a definição, o presidente do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva), José Perdiz, continua como interino e deve convocar novas eleições na entidade em até 30 dias. 

A defesa do dirigente ainda pode tentar outros recursos para reverter a decisão.

Lembre o caso

Os desembargadores da 21ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro consideraram irregular o TAC (Termo de Acordo de Conduta) assinado entre o Ministério Público e Ednaldo, em março de 2022, que possibilitou à Assembleia-Geral da CBF elegê-lo para comandar a entidade.

O acordo foi firmado no ano passado, pois, desde 2018, o MPRJ movia uma ação contra a CBF para entender uma mudança feita no estatuto em 2017, que estabelecia pesos diferentes para os votos de federações e clubes das séries A e B.

Na época, Rogério Caboclo foi eleito, com Ednaldo Rodrigues como um dos vice-presidentes. Em 2021, Caboclo foi afastado devido a denúncias de assédio sexual e moral — em que foi inocentado pela Justiça —, e Ednaldo assumiu a presidência interinamente.

Pelo acordo feito com o MP em 2022, Ednaldo conseguiu a anulação do pleito que elegeu Caboclo; outro foi marcado, e ele virou o presidente, de fato, da CBF.

No entanto, outros vice-presidentes e opositores de Ednaldo se sentiram prejudicados e reclamaram de não terem sido consultados sobre a negociação. Além disso, afirmaram que o acordo não poderia ter sido feito com o MPRJ, por se tratar de uma entidade privada.

Saiba quem é Carlo Ancelotti, técnico que fechou acordo verbal para comandar a seleção

Últimas