Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esportes
Publicidade

Seleção estreia contra a Sérvia e resgata DNA ofensivo do futebol brasileiro

Equipe de Tite deve entrar em campo nesta quinta (24), a partir das 16h (de Brasília), com quatro atacantes e formação muito ofensiva

Copa do Mundo|Pietro Otsuka, do R7

O Brasil estreia nesta quinta-feira (24), às 16h (de Brasília), no estádio Lusail, na Copa do Mundo 2022. O adversário é a Sérvia, um velho conhecido do Mundial da Rússia, quatro anos atrás. Repleta de jogadores que vivem a melhor fase da carreira, o técnico Tite deve apostar numa formação muito ofensiva para garantir uma vitória convincente já no primeiro desafio no Catar. 

A escalação com quatro atacantes, antecipada pelo blog de Cosme Rímoli, do R7, mostra, como nunca antes nestes seis anos à frente da seleção, uma ousadia genuinamente brasileira de Tite, o que alguns analistas podem confundir com arrogância. Mas o que o treinador faz é entender o momento dos atletas que têm a disposição. Se Neymar não pode ser banco, e Vinícius Jr. merece a titularidade, por que não escalar os dois juntos?

Formação com quatro atacantes é demonstração de confiança de Tite
Formação com quatro atacantes é demonstração de confiança de Tite Formação com quatro atacantes é demonstração de confiança de Tite

Dragan Stojkovic, técnico da Sérvia, exaltou a qualidade dos atacantes brasileiros, mas questionou: quem defende nesse time? "O Brasil é muito sortudo por ter quatro atacantes, mas alguém terá que defender, não? O jogo começa em 0 a 0, então, podemos ganhar. Não temos medo de ninguém, nem mesmo do Brasil", afirmou o treinador. 

A preocupação com a defesa é merecida; afinal, o Brasil deve entrar com Casemiro, como primeiro homem à frente da defesa, e Lucas Paquetá dará suporte por dentro, mas tem também vocação ofensiva. No entanto, vale mencionar que, estruturalmente, as alterações pouco implicam no modelo adotado por Tite na hora de defender.

Publicidade

O Brasil usa um clássico 4-4-2 no momento defensivo, com Neymar ao lado de Richarlison fazendo a pressão inicial, independentemente de a seleção jogar com três ou quatro atacantes. Com a entrada de Vinícius Jr., caberá ao jogador do Real Madrid fechar a linha pelo lado esquerdo. Sem ele, é o próprio Paquetá quem cai por aquele lado, com Fred e Casemiro por dentro, e Raphinha na direita. 

A escalação com quatro atacantes (Neymar, Richarlison, Raphinha e Vinícius Jr.) foi testada contra Gana, nos amistos de setembro, e deu muito certo. O Brasil venceu por 3 a 0, com autoridade, num jogo de amplo domínio dos comandados de Tite. Se a estratégia vai novamente funcionar, não se sabe, mas tudo nos faz crer que sim. Afinal, a zebra tem sido presença ilustre nesses primeiros jogos da Copa do Catar, especialmente nos tropeços de Alemanha e Argentina.

Publicidade

O Brasil está no Grupo G da Copa do Mundo do Catar, ao lado de Sérvia, adversária desta quinta, Suíça e Camarões. A seleção encara os suíços na próxima segunda-feira (28), às 13h (de Brasília), no estádio 974, em Doha. Quatro dias depois, é a vez de enfrentar os camaroneses, às 16h, no estádio Lusail. 

Brasileiros comemoraram derrota da Alemanha na estreia da Copa e criaram memes; confira

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.