Cosme Rímoli Tite se rende ao talento. Vinicius Júnior, Neymar, Richarlison e Raphinha. Brasil extremamente ofensivo contra a Sérvia

Tite se rende ao talento. Vinicius Júnior, Neymar, Richarlison e Raphinha. Brasil extremamente ofensivo contra a Sérvia

Fred perdeu a posição. No treinamento secreto de hoje, ele definiu Vinicius Júnior como titular da Seleção. Brasil terá quatro atacantes contra os sérvios, na estreia da Seleção

  • Cosme Rímoli | Do R7

Vinicius Júnior

Vinicius Júnior

CBF

Doha, Catar

Vinicius Júnior titular.

Esta foi a novidade do treinamento secreto da Seleção Brasileira hoje, em Doha.

Tite acabou sendo convencido pelo talento, velocidade e excelente forma que vive o atacante do Real Madrid.

Antes de começarem os treinos em Turim, Tite estava convencido que o melhor para o Brasil seria fechar as intermediárias.

Deixar Casemiro e Fred para marcar o hábil meio-campo sérvio.

Só que Tite decidiu que poderia arriscar, fugir de suas características defensivas.

E tratou de recuar Lucas Paquetá para jogar paralelo a Casemiro.

Enquanto Neymar fica responsável pela articulação das jogadas ofensivas.

Na frente, Raphinha, Richarlison e Vinicius Júnior.

A mudança é radical.

O Brasil de Tite se acostumou a jogar no 4-2-2-2. Jogar no 4-2-1-3 faz com que os laterais Danilo e Alex Sandro fiquem bem mais presos na linha defensiva. 

Mas, em compensação, Richarlison não tem do que reclamar.

Aliás, ontem, ele deixou escapar uma singela frase na coletiva.

"Para mim, quantos mais atacantes melhor. Disse sorrindo."

Em todo o trabalho de Tite, desde que assumiu a Seleção, há seis anos, o treinador sempre se defendeu quando cobrado por mais jogadores ofensivos.

"Eu prefiro meu time equilibrado. Com  jogadores que desempenhem várias funções táticas, mas equilibrado. Tanto na defesa, como no meio-campo e no ataque."

A visão do treinador de Vinicius Júnior passou a mudar exatamente há um ano, quando ele o convocou para o lugar de Roberto Firmino, contundido, para os jogos diante da Colômbia e Argentina.

Desde então, não deixou de chamá-lo.

Aliás, o jogador do Real Madrid não para de ganhar destaque na imprensa internacional. Ainda não como Neymar. Mas está muito próximo do atacante do PSG.

Serão quatro atacantes.

Vale lembrar que esse time jamais atuou junto.

Contra Gana, na vitória por 3 a 0, o Brasil colocou os quatro jogadores ofensivos.

Mas Eder Militão atuou na "lateral", quase um terceiro zagueiro.

A aposta é ousada.

As convicções de Tite foram vencidas pelo talento de Vinicius Júnior...

Caçula da seleção, Martinelli é um dos jovens da Copa que devem brilhar no Catar; veja os nomes

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas