Copa do Mundo Argentinos comemoram Copa do Mundo com cerveja e debocham de jornalistas na saída do estádio

Argentinos comemoram Copa do Mundo com cerveja e debocham de jornalistas na saída do estádio

Agora tricampeões desfilaram pela Lusail Boulevard e saudaram torcedores que estavam por ali, nos arredores do palco da final

  • Copa do Mundo | André Avelar, do R7, em Lusail, no Catar

Argentinos não pararam para falar com a imprensa depois da vitória sobre os franceses

Argentinos não pararam para falar com a imprensa depois da vitória sobre os franceses

CARL RECINE/REUTERS - 18.12.2022

Assim como no campo, Lionel Messi liderou a Argentina também na saída do estádio Lusail, neste domingo (18), no Catar. Campeões da Copa do Mundo em um jogo memorável contra a França, os jogadores comemoram com cerveja no vestiário e debocharam dos jornalistas que os aguardavam na área de entrevistas.

Quase três horas depois do término da decisão por pênaltis, conhecidas músicas da torcida argentina foram ouvidas entre as paredes da zona mista, em que, normalmente, jornalistas do mundo inteiro fazem perguntas aos jogadores. O volume foi aumentando e rapidamente deu para perceber que os atletas não iriam parar por ali.

A atitude foi a mesma do pentacampeonato do Brasil, no Japão e na Coreia do Sul, em 2002. Naquela ocasião, Ronaldinho Gaúcho e Roque Júnior puxaram o samba e deixaram o estádio seguido por outros jogadores, que entraram no batuque.

Messi, descalço, segurava a Copa do Mundo enquanto era cercado por seguranças. Ao longo do caminho, rente às tapadeiras com os patrocinadores da competição, cumprimentou um repórter argentino do seu núcleo de amizade e se dirigiu para o ônibus. Imediatamente, todos os demais 25 atletas seguiram atrás e provocando jornalistas — ainda que a relação hoje em dia seja bastante boa.

“Tem que torcer pela seleção / Tem que torcer até a morte / Por que Argentina eu te quero / É um sentimento que eu levo / Não me importam o que digam / esses p. jornalistas”, dizia a música cantada pelos jogadores, entre outras canções mais conhecidas no caminho até a saída do estádio.

Di Maria e Messi, autores dos gols no tempo normal, participaram da festa

Di Maria e Messi, autores dos gols no tempo normal, participaram da festa

HANNAH MCKAY/REUTERS - 18.12.2022

Mais cedo, as lives dos jogadores nas redes sociais entregaram um clima ainda mais descontraído. Jogadores e comissão técnica encontraram cerveja, com álcool apesar das restrições do país muçulmano, e começaram a festa por lá mesmo. Muitos familiares também foram vistos ainda no campo, depois de levantar o troféu.

Aposentado dos gramados devido a um problema cardíaco, Sérgio Aguero estava entre os jogadores. O ex-atacante já havia, inclusive, participado de um treinamento da equipe e não podia faltar na festa. Kun, como também é conhecido, foi um dos que espalhou champanhe na imprensa, enquanto a organização do torneio se preocupava com fotos e vídeos que os jornalistas pudessem fazer — por contrato, apenas detentores de direitos têm uma área reservada para as imagens.

Os jogadores saíram do estádio em um ônibus adaptado, com o último andar livre, nas cores da Argentina e a inscrição de “campeão”, receber a saudação de inúmeros torcedores na Lusail Boulevard, uma área de concentração dos torcedores, nas cercanias do grande palco da final.

A delegação começa a deixar o Catar já nesta madrugada, faz uma escala em Madri e aterrisa em Buenos Aires por volta das 19 horas (local) desta segunda-feira.

Copa faz justiça e consagra um gênio: veja sete momentos de Messi campeão

Últimas