Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Atacante que criticou Rubiales fica de fora da convocação da seleção espanhola

Borja Iglesias, do Betis, se recusa a defender o país até que presidente renuncie; treinador alega fator técnico para deixá-lo de fora

Futebol|Do R7

Atacante boicotou a seleção após escândalo de Rubiales
Atacante boicotou a seleção após escândalo de Rubiales Atacante boicotou a seleção após escândalo de Rubiales

O atacante Borja Iglesias, do Betis, uma das poucas figuras do futebol masculino a se pronunciar sobre o escândalo que envolve Luis Rubiales, ficou fora da convocação da seleção espanhola desta sexta (1°).

Logo após o presidente da RFEF (Real Federação Espanhola de Futebol) não renunciar ao cargo, mesmo pressionado devido ao seu comportamento na final da Copa do Mundo Feminina — fez gestos obscenos ao lado de mulheres da Realeza espanhola e foi acusado de dar um beijo sem consentimento na jogadora Jenni Hermoso —, Borja renunciou à seleção.

Pelas redes sociais, o atacante, de 30 anos, disse estar "triste e decepcionado" com as declarações de Rubiales, que se defendeu das acusações, durante assembleia-geral da Federação, na semana passada, e deu a entender que só mudaria de ideia caso o mandatário deixasse o cargo.

"Vestir a camisa da seleção espanhola é uma das melhores coisas que aconteceram na minha carreira. Não sei se em algum momento voltarei a ser opção, mas tomei a decisão de não regressar à seleção até que as coisas mudem, e esse tipo de ato não fique impune", escreveu o jogador.

Publicidade

Em lista divulgada pelo treinador Luis De La Fuente nesta sexta (1°), Borja ficou de fora da relação de 24 jogadores.

Para o setor ofensivo, Alvaro Morata, do Atletico de Madrid; Joselu, do Real Madrid; Marco Asensio, do PSG; Dani Olmo, do RB Leipzig; Nico Williams, do Athletic Bilbao; Abel Ruiz, do Braga; e Lamine Yamal, do Barcelona, receberam a preferência do treinador.

Publicidade

De La Fuente justificou a não convocação de Iglesias como uma escolha "exclusivamente esportiva".

"Considerei que havia outros jogadores. Acredito que ele ficará encantado de vir, mas respeito se for o contrário. De todas as formas, os jogadores sabem que estão obrigados a vir se forem chamados, mas não quero aqui ninguém que não esteja confortável", declarou, ressaltando que Iglesias tem portas abertas na seleção.

Publicidade

A última vez em que Borja defendeu a seleção foi em março deste ano, pelas eliminatórias da Eurocopa, na derrota da Espanha para a Escócia, por 2 a 0.

O jogador é um dos grandes nomes do clube de Sevilha e marcou 15 gols no último campeonato espanhol. Na atual edição, passou em branco nas três primeiras rodadas.

Não é só Rubiales: veja outros dirigentes que foram acusados de assédio sexual

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.