Audiências nos EUA podem desfalcar time interessado no goleiro Jean

São Paulo já deu a entender que irá rescindir contrato com jogador acusado de agredir a mulher Milena Bemfica, na Flórida, nos Estados Unidos

Jean poderá desobedecer justiça americana em caso de compromisso com equipe

Jean poderá desobedecer justiça americana em caso de compromisso com equipe

Marcello Zambrana/Estadão Conteúdo

Acusado de agredir a mulher nos Estados Unidos, a carreira do goleiro Jean Fernandes pode ter se complicado não apenas pelo episódio em si. Aos 24 anos, o atleta, que terá o contrato rescindido com o São Paulo, terá de comparecer às audiências públicas na Flórida.

O jogador foi liberado após o fim de uma audiência de custódia. Existe a expectativa para que ele chegue ao Brasil na manhã desta sexta-feira (20), separado da mulher Milena Bemfica e das duas filhas.

Caso desobedeça a justiça americana, por eventual compromisso com um novo clube, por exemplo, o atleta será considerado foragido e haverá ordem de prisão contra ele. Isso poderia inclusive gerar um pedido de extradição do goleiro.

De acordo com Vladimir Feijó, professor de direito internacional do Ibmec de Belo Horizonte (MG), não existe uma periodicidade nas audiências e nem prazo para o término do processo.

“A próxima audiência deve ser a de instrução. Já depois da peça de acusação e defesa. Nela cada parte falará sustentação oral, pode listar e fazer perguntas a testemunhas”, disse Feijó. “Não é o caso de audiências regulares. Esse tipo ocorre em caso de condenação em regime aberto ou semiaberto, em que o condenado tem que se apresentar periodicamente à Justiça. Ainda não há condenação.”

Milena escreveu em suas redes sociais que ele foi “detido e não preso”. Ela disse também não mostrar a sua imagem por estar machucada. 

"Muitos falam e julgam, mas não sabem das coisas. Jean foi solto porque na verdade ele foi detido e não preso. Eu não dei queixa pelo simples fato de que se eu desse, ele teria que pagar tudo aqui nos EUA e eu não quero um futuro desses para minhas filhas", escreveu.

No Boletim de Ocorrência do caso, Jean afirma que a briga foi iniciada por sua esposa, que teria ficado brava ao vê-lo conversando ao telefone com outra mulher. Ainda segundo o registro da polícia, as filhas do casal teriam visto a hora que o pai delas deu socos na mãe.

Curta a página de Esportes do R7 no Facebook

Jean é mais um na lista de jogadores acusados de agredir mulheres