Campeonato Brasileiro

Futebol Abel Ferreira afirma que todos da família não o queriam no Palmeiras

Abel Ferreira afirma que todos da família não o queriam no Palmeiras

Técnico revelou que enxergavam o Brasil de forma instável; em março, o português renovou até dezembro de 2024 com o Verdão

  • Futebol | Do Live Futebol BR

Abel Ferreira durante a última atividade do  Palmeiras visando o Botafogo pelo Brasileirão 2022

Abel Ferreira durante a última atividade do Palmeiras visando o Botafogo pelo Brasileirão 2022

CESAR GRECO/SITE OFICIAL DO PALMEIRAS (08.06.2022)

O Palmeiras, que é treinado por Abel Ferreira desde novembro 2020, soube pelas palavras do próprio treinador que a família dele não concordava com a sua saída do PAOK, da Grécia, para assumir o Verdão, pela instabilidade oferecida no futebol brasileiro.

"Fui contra tudo e todos da minha família. Meus pais me disseram: 'Não vá!'. Minha esposa também. Eu disse a ela: 'Se você me ama, você ainda vai me amar, mas eu vou embora'. Fui contra toda a minha família", confessou o técnico em depoimento ao portal 'The Coaches Voice'

"Ninguém queria que eu viesse para o Palmeiras. Vim única e exclusivamente por minha própria convicção, inclusive sabendo que a permanência média dos treinadores no Brasil é de três meses", completou Abel.

O português até aqui, pelo Palmeiras, já disputou nove finais e venceu cinco títulos. Sem contar os inúmeros recordes conquistados à frente do Verdão em duas temporadas e meia no banco de reservasInclusive lançando um livro sobre sua passagem no Brasil.

"O clube [Palmeiras] me entrevistou três vezes antes de me escolher. O clube sabia muito bem quem eles contrataram, sabia como eu jogava. Queria um bom time à disposição. Faltava afeto, não escutavam os jogadores. Muitas vezes o treinador só fala e esquece de escutar a outra parte. Quando se tem uma estrutura como a do Palmeiras, é só trazer sua filosofia de jogo", ressaltou.

"Foi assim que conseguimos criar uma família aqui. Fizemos os jogadores realmente confiarem em si mesmos, e eles se deram conta de que eram muito melhores do que pensavam. Agora mesmo, meus jogadores são capazes de jogar sem treinador", acrescentou.

De acordo com o português, seu caráter diante das adversidades no Palmeiras ou mesmo na fase boa não se alteraram, apesar de se tornar uma referência para Portugal e ter renovado o contrato até dezembro de 2024.

"A única coisa que mudou é que tenho mais títulos. E as pessoas reconhecem mais. Mas meus princípios e meu jeito de ser são exatamente os mesmos", concluiu.

No pagode em derrota do Corinthians, Jô já faltou a treino por comemoração de aniversário

Últimas