Esportes Estudo sobre o futuro do futebol brasileiro avança com processo de consulta na Europa

Estudo sobre o futuro do futebol brasileiro avança com processo de consulta na Europa

Ideia é elaborar um diagnóstico da situação atual do futebol no Brasil; estudo vai delinear e propor um conjunto de reformas

  • Esportes | Do R7, em Brasília

Representantes do Brasil e de Portugal discutem futuro do futebol

Representantes do Brasil e de Portugal discutem futuro do futebol

Acervo / Bandeira de Mello

O estudo independente sobre o futuro do futebol brasileiro, desenvolvido pela Siga Latin America para a Frente Parlamentar pela Modernização do Futebol, avançou na última semana com uma série de reuniões com diversas organizações e especialistas europeus.

Emanuel Macedo de Medeiros, CEO global da Siga e chairman foi anfitrião da visita a Portugal do presidente da frente parlamentar, deputado Eduardo Bandeira de Mello (PSB-RJ). 

Com as reuniões de trabalho, foi dado início ao processo de consulta externa, além de debates com altos representantes do futebol, do governo de Portugal e de organizações internacionais. A ideia é elaborar um diagnóstico da situação atual do futebol no Brasil. O estudo vai delinear e propor um conjunto de reformas pelo desenvolvimento sustentável do esporte no Brasil. 

Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo Telegram
Assine a newsletter R7 em Ponto

Realizado de forma independente, o processo visa envolver todos os interessados e entidades relevantes, incluindo a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), as federações estaduais e representantes de clubes, jogadores, treinadores, árbitros e torcedores, bem como patrocinadores, emissoras, parceiros comerciais e mídia, além do próprio governo e Congresso Nacional. 

Durante a visita de trabalho de quase uma semana, foram abordadas questões fundamentais, tais como: o papel social e a dimensão econômica do futebol; boa governança; integridade, Transparência e Supervisão Financeira; Regulamentação e Integridade das apostas esportivas; desenvolvimento e proteção de menores no futebol, incluindo o combate ao tráfico, racismo e abusos de atletas. Também foram discutidos aspectos relativos ao enquadramento jurídico, esfera de competências, funcionamento e implementação das ligas profissionais, assim como as experiências de alguns dos clubes mais relevantes com a criação das sociedades anônimas de futebol.

Emanuel Macedo de Medeiros e Eduardo Bandeira de Mello encontraram-se com os líderes de diversas entidades, incluindo o secretário de Estado da Juventude e Desporto de Portugal, o Instituto Português do Desporto e Juventude, a Fundação do Desporto, a Liga Portugal, a European Leagues, o FC Porto Futebol SAD, Vitória Sport Clube, “Os Belenenses”, Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol, a FIFPro Europe, a Associação Nacional de Treinadores de Futebol, o Comitê Olímpico de Portugal, a Câmara Municipal do Porto, Associação Comercial do Porto, a consultora PwC, a empesa Fun-Addict, a Sociedade de Advogados RBMS e a Autoridade Nacional para a Prevenção e Combate à Violência no Desporto, entre outras.

Em breve, a Siga Latin America divulgará publicamente o conceito e o processo de implementação do estudo independente, incluindo a composição dos grupos de especialistas envolvidos, assim como a data e local da conferência inaugural de alto nível que marcará o início do estudo em solo brasileiro.

“O processo de consulta realizado em Portugal permitiu avanços significativos para o estudo independente sobre o futuro do futebol no Brasil. Durante uma semana, reunimos com os principais intervenientes do esporte em Portugal. Partilhamos experiências e conhecimento, debatemos as melhores práticas e os desafios mais prementes. A Siga e a Frente Parlamentar pela Modernização do Futebol no Brasil continuam empenhados na liderança do processo de reforma do esporte no continente sul-americano, e deram passos significativos no sentido de produzir o conhecimento necessário à adoção das melhores práticas,” disse Emanuel Macedo de Medeiros, CEO Global da Siga.

Últimas