Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Copa 2018
Publicidade

Na Croácia, brasileiro relata clima no país após vice na Copa do Mundo

Zagueiro do Hajduk Split, um dos clubes mais tradicionais da Croácia, Gustavo Carbonieri espera que a o vice da Copa possibilite uma melhor avaliação do campeonato local

Lance

Lance|Do R7

Lance
Lance Lance

A Croácia fez história na Copa do Mundo da Rússia. Ao chegar à final, a seleção europeia não só fez sua melhor campanha em mundiais como também encantou os torcedores de diversas nações por seu jogo coletivo. E, apesar da derrota para a França por 4 a 2, o sentimento de orgulho irá tomar conta do país por muito tempo.

A expectativa é que isso atraia mais holofotes para a liga local. Zagueiro do Hajduk Split, um dos clubes mais tradicionais da Croácia, Gustavo Carbonieri espera que a o vice da Copa do Mundo seja acompanhado de uma evolução na forma como a 1HNL, a primeira divisão nacional, é vista pelo planeta.

- Com certeza agora irão olhar para o país de outra forma e verão a liga com outros olhos. Haverá um maior interesse por entender como funciona a formação de atletas, porque a seleção conta com jogadores em grandes ligas e isso se deve à metodologia implantada no país, e nos atletas que jogam por aqui. Teremos uma maior oportunidade de mostrar nosso futebol agora que a Croácia atingiu um novo patamar - disse o brasileiro, que fez sua primeira temporada na equipe.

Para um país com pouco mais de quatro milhões de pessoas e que se tornou independente apenas em 1992, chegar à final da Copa do Mundo é motivo de orgulho. Ainda mais porque a campanha no torneio foi além do esperado.

Publicidade

- Acho que pelo fato de ser um povo mais fechado não se falava tanto da Copa até o começo do torneio. Mas depois da vitória diante da Argentina o povo empolgou de vez. A expectativa da torcida era boa porque muitos consideram essa geração como a melhor que o país teve, mas nem o torcedor mais otimista acreditava que essa seleção pudesse chegar tão longe. Cada jogador honrou as cores da Croácia e isso com certeza foi percebido pelos torcedores. É uma pena que tenha que haver apenas um vencedor porque a Croácia merecia muito esse título - completou Gustavo.

Aos 26 anos, Gustavo se recupera de cirurgia no joelho após lesão ao final da temporada. Revelado no futebol paulista, ao defender Juventus e Ponte Preta, o brasileiro jogou profissionalmente por Salgueiro, Central, Penapolense, Bragantino, Santa Clara (POR) e Rio Preto até chegar ao Hajduk Split.

Na final disputada no último domingo, Modric e companhia foram vencidos pela França, por 4 a 2, que assim garantiu sua segunda taça da Copa do Mundo.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.