Logo R7.com
Logo do PlayPlus
BRASILEIRO 2022
Publicidade

Após Ferrari, Fórmula 1 também doará mais de R$ 5 milhões a vítimas das enchentes na Itália

Categoria do automobilismo foi afetada pelas fortes chuvas na região de Emilia-Romagna e cancelou o GP do fim de semana

Automobilismo|Do R7

O espaço ocupado pelas equipes no circuito italiano ficou alagado
O espaço ocupado pelas equipes no circuito italiano ficou alagado O espaço ocupado pelas equipes no circuito italiano ficou alagado

Um dia após a Ferrari anunciar a doação de 1 milhão de euros (cerca de R$ 5,39 milhões na cotação atual), a Fórmula 1 repetiu a ação e prometeu o mesmo valor às vítimas das enchentes na região norte da Itália. As fortes chuvas afetaram diretamente a categoria, que precisou cancelar o GP de Emilia-Romagna, marcado para o fim de semana.

Assim como fez a equipe italiana, a F1 vai fazer a doação diretamente à Agência de Proteção Civil e Segurança Territorial da Região de Emilia-Romagna. "A situação que essas comunidades estão enfrentando é terrível, mas sei que a resiliência e a paixão dessas pessoas, como em outras regiões da Itália, vão prevalecer durante toda essa crise", disse Stefano Domenicali.

· Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp

· Compartilhe esta notícia pelo Telegram

Publicidade

O atual CEO da categoria é italiano e cresceu na região de Emilia-Romagna, afetada pelas enchentes. "Temos de fazer tudo o que pudermos para ajudá-los neste momento de dificuldade, e é por isso que vamos fazer essa doação, para auxiliar e dar algum alívio nesses esforços", comentou o ex-dirigente da Ferrari.

Yuki Tsunoda, piloto japonês da Alpha Tauri, foi às ruas da comuna de Faença para ajudar a limpar a lama. Nas redes sociais, o perfil institucional da Fórmula 1 publicou as fotos do momento.

Publicidade

A direção da F1 também pediu doações de outras entidades e pessoas para as vítimas das enchentes em seu site. Equipes e pilotos foram atingidos indiretamente pelas chuvas na Itália. Os funcionários das equipes já trabalhavam no paddock do autódromo Enzo e Dino Ferrari desde o início da semana. Na terça, precisaram evacuar o local, devido ao risco de alagamento, uma vez que o rio Santerno, que margeia o circuito, transbordou em alguns trechos.

Na quarta, a direção da Fórmula 1 decidiu-se pelo cancelamento do GP, principalmente porque a estrutura da categoria costuma exigir muitos recursos de emergência, que estão sendo todos direcionados às vítimas das enchentes. Pelo menos oito pessoas já morreram em decorrência das chuvas e mais de 10 mil precisaram deixar suas casas.

Piloto da Alfa Romeo na F1, Bottas compra carro raro de R$ 1,2 milhão da montadora italiana

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.