Vestiário em crise e adversário complicado desafiam Cuca na reestreia pelo Santos

Sem poder contratar devido a uma punição na Fifa, o Santos vê na troca de comando técnico o fato novo para tentar virar a página da crise. Após a queda nas quartas de final do Paulistão e a demissão do português Jesualdo Ferreira, Cuca chegou para apagar o incêndio e estreará já neste domingo, apenas dois dias após ter sido apresentado, na rodada de abertura do Campeonato Brasileiro.

A missão não será nada fácil. O adversário na estreia, às 16 horas, na Vila Belmiro, é o Red Bull Bragantino, campeão da Série B na temporada passada com sobras e dono da melhor campanha na fase de classificação do Campeonato Paulista deste ano.

Apesar do ambiente pra lá de conturbado no Santos, Cuca tentou demonstrar otimismo e apontou fatores positivos no elenco alvinegro, que ele conhece bem. Esta será a terceira passagem do técnico de 57 anos pelo clube, a última delas em 2018.

"Esse é meu trabalho. Fazer essa gestão, ser a pessoa de confiança dos jogadores, não só como treinador, mas como parceiro. Tenho um conhecimento muito grande da maioria dos jogadores. Esse grupo é muito bom, tem jogadores polivalentes. Não pode contratar, mas vamos extrair o máximo de cada um", declarou.

Fora das quatro linhas, além da nova comissão técnica, a equipe do litoral paulista teve a efetivação do ex-volante Renato como diretor de futebol, outra aposta da diretoria para tentar controlar o vestiário rachado. Devido à crise financeira, o Santos reduziu salários durante a pandemia, e alguns atletas acionaram a Justiça para deixar o clube.

"Chego sabendo dos problemas. Sei das coisas que podem e devem acontecer ao longo do ano e estou preparado para isso. De repente, teremos que vender um ou outro jogador, mas não podemos perder a força. Temos de criar alternativas", amenizou o técnico.

Cuca chegou e comandou o primeiro treino antes mesmo de ser apresentado. Uma das primeiras ações do novo técnico foi a reintegração do meia-atacante colombiano Copete, que vinha treinando com o Time B.

Para o jogo deste domingo, contudo, a escalação do Santos não deve ter novidades. Há uma expectativa para o retorno do atacante Raniel, que voltou a treinar normalmente durante a semana e seria avaliado, mas ele deve ficar no banco caso seja relacionado.