Uefa afirma que final da Liga dos Campeões deve ser jogada até 3 de agosto

A Uefa trabalha com diversas possibilidades para poder concluir o calendário da atual temporada, no momento paralisada devido à pandemia do novo coronavírus. Segundo o presidente da entidade, Aleksander Ceferin, a intenção é terminar os torneios, incluindo a Liga dos Campeões, até 3 de agosto, caso a covid-19 tenha parado de se espalhar no continente europeu.

Para isso, a Uefa pensa até em realizar mudanças no formato das quartas e semifinais da sua principal competições de clubes, que poderiam vir a ser em jogo único em campo neutro; ou mesmo em usar ter partidas nos mesmo dias dos campeonatos nacionais.

"Podemos jogar com o sistema atual ou fazer uma partida com sorteio para jogar em casa, fora ou campo neutro. Mas agora é só teoria. Em 3 de agosto deve se estar encerrada a Liga dos Campeões, é uma situação extraordinária. Podemos jogar nas mesmas datas dos campeonatos locais, na mesma hora, deveremos ser flexíveis", declarou o dirigente esloveno.

Ceferin, no entanto, afirmou que as partidas só serão realizadas caso não haja risco nenhum para a saúde dos atletas, a prioridade da Uefa neste momento. Assim, seria necessária liberação completa do departamento médico dos clubes e sob a responsabilidade dos governos nacionais de cada país.

"Se for seguro e não terá perigo, não vejo problema para o futebol voltar. O esporte traz energia, necessitamos do esporte. As pessoas estão nervosas e ansiosas. O futebol é uma indústria séria e que se importa com as pessoas. As grandes estrelas do momento são os médicos e enfermeiras. Se as autoridades nos permitirem, podemos fazer. Dependemos dos governos nacionais. De todas as formas é melhor com portões fechados e com televisão, o futebol é o que as pessoas querem", sentenciou Ceferin.

Além da paralisação da Liga dos Campeões, a Uefa também alterou a data do seu principal torneio de seleções, a Eurocopa, que será disputado em 2021 e não mais em 2020.

No continente europeu, Itália e Espanha são os países mais afetados pela covid-19. Outros, como França, Alemanha e Reino Unido, também estão sendo seriamente atingidos pela pandemia.