Esportes Técnico do feminino do Cruzeiro é preso por desacatar fiscal da covid

Técnico do feminino do Cruzeiro é preso por desacatar fiscal da covid

Confusão aconteceu durante treinamento em Juatuba (MG); clube nega xingamentos contra a representante da prefeitura

  • Esportes | Paula Abranches, da Record TV Minas

Treinador teria desacato fiscal da Prefeitura de Juatuba

Treinador teria desacato fiscal da Prefeitura de Juatuba

Divulgação / Cruzeiro / Gustavo Aleixo

O técnico do time feminino do Cruzeiro, Marcelo Frigério, foi preso na última sexta-feira (12), suspeito de ter desacatado uma fiscal da covid-19 da Prefeitura de Juatuba, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Segundo a Polícia Militar, uma equipe de fiscais teria tentado interromper o treino do time por conta das medidas de combate ao coronavírus na cidade. Frigério teria se irritado com a situação e mandado a fiscal “enfiar a caneta na sua lomba”.

Por conta da frase, o treinador foi detido por desacato e encaminhado à uma delegacia, onde prestou depoimento e assinou um termo se comprometendo a comparecer ao juizado especial quando convocado. Ele foi liberado seguida.

Veja: Cruzeiro marca gol de pênalti e vence a 2ª partida seguida

O Cruzeiro negou que o técnico tenha xingado a fiscal. Ao lamentar o ocorrido, o clube argumentou que o xingamento teria sido dirigido para o presidente da Liga de Desportos de Juatuba, Geraldo Ricardo Lima, que não estaria satisfeito com a presença do time na cidade. Além disso, o clube afirmou que a equipe de fiscais agiu ‘sem qualquer educação ou corteria'.

Veja a nota na íntegra:

O Cruzeiro Esporte Clube lamenta o ocorrido na última sexta-feira, no Estádio Curumim, em Juatuba, onde a equipe de futebol feminino realizava as suas atividades de pré-temporada. Na ocasião, fiscais sanitários compareceram ao local e solicitaram que as jogadoras deixassem o espaço, sem qualquer educação ou cortesia que lhes competia no exercício da função.

O treinador Tchelo foi convidado a prestar esclarecimentos na delegacia e o mesmo relata que as palavras, no momento de tensão, foram dirigidas a Geraldo Ricardo Lima, que também é o presidente da Liga de Desportos de Juatuba, e que, por motivo desconhecido, não estaria satisfeito com a presença da equipe feminina na cidade. Ele alega que no fervor do momento e pela maneira como as atletas estavam sendo tratadas, tentou agir, de forma a protegê-las, mas negou com veemência que houve qualquer agressão verbal ou física a qualquer membro feminino da equipe de fiscalização.

O Cruzeiro destaca que Marcelo Frigerio, o Tchelo, tem 23 anos de atuação no futebol feminino, com uma trajetória respeitada dentro e fora dos gramados. O Clube lamenta profundamente que o ocorrido, em um momento delicado como este de pandemia, que afeta a todos, tenha tomado esta proporção. E a instituição tomará todas as providências cabíveis para proteger os seus profissionais e as suas atletas.

O Clube destaca ainda o apoio total e irrestrito da Prefeitura de Juatuba, que tomará medidas administrativas sobre o caso.

O Cruzeiro Esporte Clube reforça e apoia a luta para que todas as mulheres ganhem cada vez mais voz, e sejam respeitadas em todos os espaços, valorizando a pluralidade.

Últimas