Sem Nikão e Thiago Heleno, Athletico busca reabilitação contra o Fluminense

Sem ainda poder contar com o técnico Dorival Júnior, em isolamento por ter contraído a covid-19, o Athletico Paranaense perdeu mais dois jogadores para o duelo contra o Fluminense neste sábado, às 16 horas, na Arena da Baixada, pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro.

O auxiliar e filho do treinador, Lucas Silvestre, não poderá contar com o zagueiro Thiago Heleno e com o atacante Nikão, mas irá relacionar o atacante Walter pela primeira vez na competição. O gordinho não joga há um ano e nove meses.

Substituído aos 31 minutos do primeiro tempo contra o Palmeiras, Nikão teve uma lesão na coxa direita detectada nos exames desta sexta-feira. Já Thiago Heleno foi vetado também por uma contusão na coxa, mas na esquerda. Ambos já iniciaram o processo de recuperação.

Por outro lado, Walter será relacionado pela primeira vez. Ele não atua desde o dia 24 de novembro de 2018 com a camisa do CSA. Nas redes sociais, prometeu imitar Gabigol na comemoração. A princípio, ficará como opção no banco de reservas.

O treinador, em contato com seu auxiliar, não descartou fazer mudanças técnicas, dando prosseguimento ao rodízio em que está acostumado. Com isso, outras mudanças poderão ocorrer. Além de Aguilar e Geuvânio, Pedrinho, Fernando Canesin e o próprio Marquinhos Gabriel são cotados para iniciarem o duelo.

"Pela cobrança que vi no vestiário entre os jogadores (contra o Palmeiras) e entre nós da comissão técnica, pode ter certeza que a equipe virá muito forte para sábado, porque todo mundo sabe que poderia ter feito muito mais na última partida", falou Lucas Silvestre.

O time paranaense perdeu nas últimas duas rodadas para times paulistas. Fora para o Santos, por 3 a 1, e em casa para o Palmeiras, por 1 a 0. Apesar das duas derrotas consecutivas no Brasileirão, o Athletico soma seis pontos na tabela, a três do líder Vasco.

O volante Wellington enxerga que o clube não está em sua melhor fase, mas lembra do passado para destacar a evolução que poderá acontecer durante o Brasileirão. "Eu sempre falo isso, porque acredito que a gente fez história no clube, mas ainda temos margens para fazer ainda mais. O clube é muito grande e vai crescer ainda mais com esses atletas e com essa comissão, que está se dedicando todos os dias para fazer o melhor", concluiu Wellington.

FICHA TÉCNICA:

ATHLETICO-PR - Santos; Khellven, Lucas Halter, Aguillar e Abner Vinícius; Wellington, Richard (Fernando Canesin) e Léo Cittadini; Vitinho, Carlos Eduardo (Pedrinho) e Geuvânio. Técnico: Lucas Silvestre (interino).