Esportes São Paulo vence clássico, quebra invencibilidade do Santos e sobe na tabela

São Paulo vence clássico, quebra invencibilidade do Santos e sobe na tabela

Em jogo nervoso, quente, muito disputado, com cartões amarelos e reclamações em profusão, polêmica de arbitragem e decidido no detalhe, o São Paulo derrotou o Santos por 2 a 1 na noite desta segunda-feira, quebrou a invencibilidade do rival no Brasileirão e voltou a triunfar depois de dois tropeços.

No Morumbi, o time tricolor conquistou seu segundo triunfo na competição graças aos gols de Calleri, artilheiro do torneio, e Luciano, este de pênalti, no fim da partida. A equipe alvinegra foi às redes com o jovem Marcos Leonardo.

Com a vitória, o São Paulo pulou para o quinto lugar, com sete pontos, e ultrapassou o Santos. Antes líder, o time treinado por Fabián Bustos desceu para a sexta colocação do Campeonato Brasileiro. Também tem sete pontos, mas é superado por Coritiba, o quarto, e o rival do Morumbi, nos critérios de desempate.

Ambos têm compromisso pela Copa Sul-Americana fora de casa na próxima quinta-feira. O São Paulo pega o Everton, em Viña del Mar, no Chile, e o Santos vai ao Equador enfrentar a Universidad de Quito.

No Morumbi, onde é forte, o São Paulo fez o que está acostumado: se impôs no início e pressionou o rival até marcar. O gol saiu cedo, aos nove minutos, com o artilheiro do campeonato. Patrick cruzou da direita e encontrou Calleri, que testou para as redes. O argentino fez seu quinto gol no torneio no qual tem mais gols do que jogos.

O São Paulo, porém, não se comportou, depois do gol, como faz quando joga diante da sua torcida. Recuou demais e limitou-se a se defender. O Santos não vinha causando incômodo aos donos da casa. Era um time lento e inócuo.

No entanto, no fim do primeiro tempo, Léo Baptistão driblou Welington e cruzou rasteiro. Jandrei desviou a bola, mas não o suficiente para tirá-la de Marcos Leonardo, que empurrou para as redes de carrinho. Comemorou muito o gol o jovem atacante e aniversariante do dia.

A partida na etapa final continuou amarrada. Havia oscilação das duas equipes, que alternaram momentos ruins e bons. Ninguém conseguia dominar o jogo, mas era o São Paulo quem mais tinha a iniciativa, tanto que João Paulo salvou os santistas em duas oportunidades. Rodrigo Nestor também levou perigo em cobrança de falta. O Santos armou contra-ataques interessantes, mas não foi efetivo em nenhum deles.

Um clássico tão equilibrado teria de ser definido no detalhe. Num lance infeliz, Rodrigo Fernández colocou o braço na bola dentro da área após cruzamento de Alisson. Leandro Pedro Vuaden foi ao monitor do VAR rever a jogada e assinalou a marca da cal. Luciano cobrou no alto, com força, e converteu.

Os jogadores e a comissão técnica do Santos ficaram furiosos com a marcação do pênalti porque, na origem da jogada, entenderam que o arremesso lateral seria a favor deles, não dos são-paulinos.

Embalado pelo "olé" vindo das arquibancadas, os anfitriões tocaram a bola fazendo o tempo passar e impediram que o rival chegasse ao seu gol.

FIHCA TÉCNICA

SÃO PAULO 2 X 1 SANTOS

SÃO PAULO - Jandrei; Rafinha (Igor Vinícius), Diego Costa, Arboleda e Welington; Andres (Luciano), Rodrigo Nestor (Pablo Maia), Igor Gomes e Patrick (Alisson); Eder (Marquinhos) e Calleri. Técnico: Charles Hembert (auxiliar de Rogério Ceni)

SANTOS - João Paulo; Madson, Maicon, Velásquez e Lucas Pires; Fernández, Zanocelo (Angulo), Felipe Jonatan (Lucas Braga) e Jhojan Julio (Willian Maranhão); Léo Baptistão (Ricardo Goulart) e Marcos Leonardo. Técnico: Fabián Bustos.

GOLS - Calleri, aos 9, e Marcos Leonardo, aos 45 minutos do primeiro tempo. Luciano, aos 36 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Leandro Pedro Vuaden (RS).

CARTÕES AMARELOS - Marcos Leonardo, Rafinha, Madson, Fabián Bustos, Charles Hembert, Rodrigo Fernández, Lucas Pires, Alisson

RENDA - R$ 1.581.896,00

PÚBLICO - 36.746 torcedores

LOCAL - Morumbi, em São Paulo (SP)

Últimas