Esportes Rebeca Andrade fica em 5º lugar no solo; Zanetti é 8º nas argolas

Rebeca Andrade fica em 5º lugar no solo; Zanetti é 8º nas argolas

OLIMP-REBECA-SOLO:Rebeca Andrade fica em 5º lugar no solo; Zanetti é 8º nas argolas

Reuters - Esportes

TÓQUIO (Reuters) - A brasileira Rebeca Andrade terminou a prova de solo na quinta colocação e se despediu dos Jogos Olímpicos de Tóquio, nesta segunda-feira, com as históricas medalhas de ouro no salto e prata no individual geral da ginástica artística.

Rebeca ficou com a nota 14,033 na prova de solo ao se apresentar com o funk "Baile de Favela" em Tóquio. A norte-americana Jade Carey ganhou a medalha de ouro com 14,366, a italiana Vanessa Ferrari levou a prata com 14,200, enquanto a japonesa Mai Murakami e a russa Angelina Melnikova ficaram com o bronze com a mesta nota, 14.166.

"Estou muito feliz com todas as apresentações que eu fiz desde o primeiro dia. Eu amo me apresentar no solo e estou levando para casa duas medalhas inéditas que foram conquistadas com muito esforço, muito suor e com o trabalho de muita gente, então, não tem como eu não estar feliz", disse Rebeca à televisão após a disputa do solo.

As duas medalhas de Rebeca foram as primeiras da ginástica feminina do Brasil em Jogos Olímpicos e, com as conquistas, ela se tornou a primeira brasileira com duas medalhas em uma mesma edição de Olimpíada.

Também nesta segunda-feira, o ginasta Arthur Zanetti, ouro em Londres 2012 e prata na Rio 2016 nas argolas, competiu na mesma prova e ficou na oitava colocação com 14,133, depois de uma falha na aterrissagem.

O brasileiro disse que foi para o "tudo ou nada" ao arriscar uma chegada com maior grau de dificuldade.

“Temos que sair felizes em tudo na nossa vida. Não é porque errei que tenho que sair triste. Saí feliz porque arrisquei. Tinha que arriscar e, como falei, ninguém sabe o quanto sofri pra fazer essa saída. Machuquei o pé várias vezes para fazer a saída e, se eu não tivesse feito isso hoje, com certeza ficaria triste", disse Zanetti, segundo nota no site Time Brasil.

"Pelas notas que venho tirando nas apresentações, ficaria em quarto e quinto. Aí você me veria triste, porque não arrisquei. Não tive o melhor resultado, mas saio satisfeito porque coloquei em prática o que vinha treinando”, acrescentou.

O ouro nas argolas ficou com o chinês Yang Liu, com 15,500, a prata com o também chinês Hao You, com 15,300, e a medalha de bronze com o grego Eleftherios Petrounias, que obteve 15,200.

Últimas