Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

Em dia com muitos saltos, equipe Mitsubishi Petrobras lidera na Protótipos T1 no Rally dos Sertões

Dupla João Franciosi/Rafael Capoani é a primeira em sua categoria com a L200 Triton SR

Rally dos Sertões|Do R7

Equipe Mitsubishi Petrobras venceu a segunda etapa do Rally
Equipe Mitsubishi Petrobras venceu a segunda etapa do Rally Equipe Mitsubishi Petrobras venceu a segunda etapa do Rally

Com muitos saltos, alta velocidade e o calor típico do serrado brasileiro, a Equipe Mitsubishi Petrobras completa o segundo dia do Rally dos Sertões. O trecho cronometrado teve 156 km entre as cidades de Rio Verde e Itumbiara, no Estado de Goiás.

Guilherme Spinelli e Youssef Haddad, com o ASX Racing, estão na vice-liderança da classificação geral, com 3h29min48 acumulados. João Franciosi e Rafael Capoani, com a L200 Triton SR, estão na quarta posição do acumulado e lideram a categoria Protótipos T1.

Franciosi teve que desempenhar uma dupla função na especial de hoje. Para não ter que parar após um problema no power shift do câmbio, Rafael Capoani passou a planilha de navegação para o piloto enquanto fazia o reparo. "Mesmo assim marcamos um bom tempo. Conseguimos completar o dia e isso é o mais importante", festeja o João.

“Costela”, “Cureca”, “forfetar”... Conheça o vocabulário próprio do Rally dos Sertões

Publicidade

O percurso desta segunda-feira (3) saiu de Rio Verde em direção à Itumbiara (GO), passando por uma zona agrícola, cruzando fazendas e plantações de milho. "Hoje foi uma especial bem mais rápida, muito mais técnica que no primeiro dia. Cuidamos bem do carro, não abusamos e nem fizemos nada que comprometesse a performance. Foi um dia muito prazeroso", disse Capoani.

Mesmo com uma especial curta, com pouco mais de 150 km, a etapa foi muito exigente para os competidores. "Todos achavam que essa etapa, por ser mais curta, seria mais fácil. Mas teve muita ‘quebradeira’. A missão é chegar e fazer uma boa colocação, um bom tempo. E estamos no caminho certo. Tem muito rali pela frente", alerta Franciosi.

Publicidade

Vice-liderança

Com o ASX Racing, Guiga e Youssef se mantêm em segundo na classificação geral. "Estamos satisfeitos com o resultado de hoje. Tivemos uma boa evolução em comparação a ontem. Conseguimos vir em um ritmo bem melhor, mas temos uma lista de coisas para evoluirmos mais para os próximos dias", comenta Spinelli. "Na noite de hoje, a equipe volta a trabalhar na suspensão e iremos experimentar algumas modificações em busca de uma performance melhor. Falta muita prova e vamos continuar trabalhando para evoluir dia a dia", anima-se o piloto.

Publicidade

"Foi bom não termos nenhum imprevisto", comemora Youssef. "O ASX Racing foi perfeito, mostrando uma evolução diária. Conseguimos sanar todos os pequenos problemas e a dupla também conseguiu achar um ritmo melhor. A cada quilômetro estamos mais à vontade", completa.

Resultado - 2ª etapa 1) Reinaldo Varela / Gustavo Gugelmin - 1:15:54.8 2) Cristian Baumgart / Beco Andreotti - 1:17:01.6 3) Guiga Spinelli / Youssef Haddad (Mitsubishi ASX Racing) - 1:17:07.5 4) Marcos Baumgart / Kleber Cincea - 1:17:24.6 5) Luis Nacif / Felipe Oliveira - 1:23:59.4 6) João Franciosi / Rafael Capoani (Mitsubishi L200 Triton SR) - 1:24:00.7 Classificação Geral - Rally dos Sertões 2015 1) Reinaldo Varela / Gustavo Gugelmin - 3:22:51 2) Guiga Spinelli / Youssef Haddad (Mitsubishi ASX Racing) - a 6:56 3) Marcos Baumgart / Kleber Cincea - a 14:36 4) João Franciosi / Rafael Capoani (Mitsubishi L200 Triton SR) - a 17:02 5) Sylvio de Barros / Rogerio Almeida - a 21:50

3ª etapa - 04/08 - Itumbiara (GO) - São Simão (GO)

Deslocamento inicial: 143 km

Trecho cronometrado: 295,05 km

Deslocamento final: 65,32 km

Total do dia: 503,37 km

A terceira etapa terá a especial mais longa do Rally dos Sertões 2015, com 295 quilômetros. O percurso começa em uma subida de serra muito estreita e sinuosa, seguindo por estradas com lombas e lombadas de todos os tamanhos. Do meio para o final, a prova fica travada e sinuosa com pequenos trechos de trial e volta para uma área agrícola de alta velocidade. Serão contornadas grandes lavouras de cana-de-açúcar com um piso misto de piçarra e areia. A especial segue em estradas menores de cascalho até o final.

"Será uma etapa super importante, com uma especial de quase 300 quilômetros que pode começar a mudar o cenário e os resultados da prova", adianta Youssef.

"Amanhã teremos que ser muito cautelosos, levar o carro na ponta dos dedos pra chegar bem. Vai chegar bem quem correr com a cabeça", disse Franciosi.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.