Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Silvio Lancellotti - Blogs
Publicidade

Na disputa de penais o Eintracht vence a Europa League de 21/22

Resultado de 1 X 0 nos 90', de 0 X 0 na prorrogação e de 5 X 4 no bingo das 11 jardas. O arqueiro Knapp salvou os tedescos no finzinho dos suplementares e ainda pegou uma das cobranças.                                 

Silvio Lancellotti|Do R7 e Sílvio Lancellotti

A defesa magistral de Knapp nos últimos instantes da prorrogação
A defesa magistral de Knapp nos últimos instantes da prorrogação A defesa magistral de Knapp nos últimos instantes da prorrogação

Na história das disputas interclubes da UEFA, a entidade que organiza o Futebol no Velho Mundo, apenas em uma ocasião, no passado, tinham se confrontado o Eintracht Frankfurt da Alemanha e o Glasgow Rangers da Escócia. Aconteceu na temporada de 1959/1960, nas semifinais da então Copa dos Campeões da Europa. Por 6 X 1 em casa e 6 X 3 em visita os tedescos detonaram seus adversários. Na decisão ocorreu uma goleada ao inverso, e num jogo único, ironicamente realizado em Glasgow - o Real Madrid arrasador por 7 X 3.

O Eintracht campeão da Copa UEFA de 1979/1980
O Eintracht campeão da Copa UEFA de 1979/1980 O Eintracht campeão da Copa UEFA de 1979/1980

Apelidado de “Time das Águias”, até esta data, dia 18 de Maio de 2022, apenas uma vez o Eintracht havia conquistado um título continental, aquele da extinta UEFA Cup, hoje Europa League, em 1979/1980. E também só uma vez os “Leões”, ou os “Gers” das chamadas Terras Altas da Grã-Bretanha, engalanaram a estante com prêmio equivalente, aquele da Copa das Copas, ou a Cup's Cup, também batizada simplesmente de Recopa, em 1971/1972.

O Rangers campeão da Recopa de 1971/1972
O Rangers campeão da Recopa de 1971/1972 O Rangers campeão da Recopa de 1971/1972

Nesta quarta-feira, dia 18 de Maio, no Ramón Sánchez-Pizjuan de Sevilha, ambos se digladiaram pela Europa League de 2021/2022. E se pode dizer que o Eintracht ostentava um leve favoritismo. Estava invicto, com sete sucessos em 12 combates, enquanto o Rangers, de dois jogos mais porque se obrigou a uma etapa intermediária de pré-classificação, em 14 contendas acumulava cinco vitórias e cinco derrotas. Pois continuou invicto o elenco da Alemanha, 1 X 1 no tempo regulamentar, 0 X 0 nos 30’ suplementares e 5 X 4 nos penais. O arqueiro Trapp evitou os 2 X 1 do Rangers nos últimos instantezinhos da prorrogação e ainda salvou uma das penalidades. Além de levantar a taça, o Eintracht assegurou uma vaga já na fase de grupos da próxima Champions League.

A capa do Twitter do campeão
A capa do Twitter do campeão A capa do Twitter do campeão

EINTRACH FRANKFURT 1 (0/5) X 1 (0/4) RANGERS

Publicidade

Sevilha, Estádio Ramón Sánchez Pizjuán, 42.714 lugares

Público: 38.842

Publicidade

Árbitro: Slavko Vincic (Eslovênia)

Gols: Borré X Ayodele-Aribo

Publicidade

Oliver Glassner e Giovanni Von Bronckhorst montaram os seus times, o Eintracht e o Rangers, com a cautela que uma finalíssima exige. Consequência: embora com mais volume os germânicos, na etapa inicial somente dois lances de algum perigo, uma boa intervenção de cada arqueiro, respectivamente Kevin Trapp e Allan McGregor. Faltou, a cada elenco, a eficiência dos seus artilheiros, apagados Daichi Kamada, de cinco gols até aqui pelo Entracht, e James Tavernier, um ala-goleador, de sete tentos pelo Rangers.

O momento do gol de Ayodele-Aribo, então Rangers 1 X 0
O momento do gol de Ayodele-Aribo, então Rangers 1 X 0 O momento do gol de Ayodele-Aribo, então Rangers 1 X 0

Eclodiria aos 57’, todavia, uma tenebrosa, ridícula conjunção de equívocos dos tedescos. Absolutamente despreocupado, na sua intermediária, Djibril Sow cabeceou para trás, o central Tuta, ex-São Paulo, escorregou, e o nigeriano Joe Ayodele-Aribo se locupletou, 1 X 0 à saída de Trapp. O Eintracht sentiu o impacto. Igualaria, no entanto, aos 69’, numa falha da bequeira do Rangers. Da esquerda Kostic cruzou, McGregor intuiu o que viria mas parou no meio do caminho. Lentos, Goldson e Bassey não perceberam que o colombiano Rafael Borré se infiltrava para tocar de bico de chuteira, 1 X 1. No tempo regular que daí restou, antes do apito final, os tedescos desperdiçariam ao menos duas chances do 2 X 1. Mas, aconteceria a prorrogação, com os perigos de praxe à espreita dos dois clubes.

O momento do empate de Rafael Borré
O momento do empate de Rafael Borré O momento do empate de Rafael Borré

Sempre, num período suplementar, o mínimo vacilo se transforma em fatalidade. E o Eintracht fez o que pôde para provocar uma falha na retaguarda do Rangers. Aos escoceses, aliás, restavam somente os arremates à distância. Todos inúteis. Muito pior. Quando dispuseram da melhor oportunidade de todo o cotejo, aos 118, numa contra-ofensiva de Roofe que colocou Kent a dois metros da meta de Knapp, com a canela destra o arqueiro evitou o desastre e levou o prélio aos penais. E eis como se desenrolou a loteria:

RANGERS 1 X 0

Tavernier converteu

EIBTRACHT 1 X 1

Lenz converteu

RANGERS 2 X 1

Davis converteu

EINTRACHT 2 X 2

Hrustic converteu

RANGERS 3 X 2

Arfield converteu

EINTRACHT 3 X 3

Kamada converteu

RANGERS 3 X 3

Ramsey, Knapp defendeu com as pernas

EINTRACHT 4 X 3

Kostic converteu

RANGERS 4 X 4

Roofe converteu

A vibração pela vitória, graças a Borré
A vibração pela vitória, graças a Borré A vibração pela vitória, graças a Borré

EINTRACHT 5 X 4

Borré converteu

Criada em 1972 para equivaler a um segunda divisão das interclubes do Velho Mundo, a então Copa UEFA exibiu 53 agremiações de 31 federações, título do Tottenham da Inglaterra. Com o passar do tempo e o decorrer de todas as modificações geográficas que o continente atravessou, em 2009 cresceu, se transformou em Europa League, a EL, a Liga Europa. Em 2018/2019 e 2019/2020 chegou ao absurdo de 213 times. A Covid-19 e a criação da nova Conference League, espécie de terceira divisão, forçaram a UEFA a enxugar a EL. Que nesta edição, a 51ª desde o nascimento, a 13ª desde a modificação, começou com 58 elencos, 21 específicos e 37 repescados das eliminatórias da Champíons League. Da sua etapa de chaves, oito, cada qual com quatro times, teve 139 jogos e 367 gols, média de 2,64, com 3.435.542 espectadores, média de 24.716.

Homenagem da Europa League aos seus vencedores
Homenagem da Europa League aos seus vencedores Homenagem da Europa League aos seus vencedores

Gostou? Clique num dos ícones do topo para “Compartilhar”, ou “Twittar”, ou deixe a sua opinião sobre este meu texto no meu “FaceBook”. Caso saia de casa, vã com cautela e solidariedade, use máscara, por favor. E fique com o meu abraço virtual! Obrigadíssimo!

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.