R7 Só Esportes Galo vence Fla com altivez em tarde de brilho do inquieto Sampaoli

Galo vence Fla com altivez em tarde de brilho do inquieto Sampaoli

Com apenas 38% de posse e sem medo do rival, time mineiro mostrou que é possível fazer uma boa partida mesmo com pouco tempo de controle de bola

  • R7 Só Esportes | Eduardo Marini, do R7

Técnico Sampaoli brilhou fechando 2019 e abrindo o BR-2020 vencendo o Fla

Técnico Sampaoli brilhou fechando 2019 e abrindo o BR-2020 vencendo o Fla

Bruno Cantini/Agência Galo/Atlético

Flamengo zero, Atlético-MG um, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro de 2020.

No melhor jogo no Brasil após a volta das disputas até agora, o Galo do técnico Jorge Sampaoli surpreendeu o Flamengo do estreante Domènec Torrent, no Maracanã, com um futebol destemido, moderno, dinâmico.

Um futebol de marcação alta, muito organizada, e muita coragem para ir ao ataque. Enfrentou a grande sensação brasileira no último ano com uma altivez impressionante.

O gol do Galo foi contra, do lateral-esquerdo Filipe Luis, aos 23 minutos do primeiro tempo. Mas isso não diminui em nada o grande trabalho de Sampaoli, refletido em campo.

O inquieto técnico do Galo entrou com três zagueiros, tirou o terceiro defensor e voltou com o esquema do trio no mesmo jogo. Não teme tomar decisões e tampouco demora a executá-las. A ideia chega e ele logo a realiza. O meia Nathan e o lateral-esquerdo Guilherme Arana, os dois do Galo, foram os melhores da partida.

No Flamengo, chamou atenção o ritmo até certo ponto travado de um time que, afinal de contas, pressionou para que o Campeonato Carioca voltasse antes. O intervalo entre o final da disputa e o início do Brasileiro, ao menos nesta partida inicial, custou caro ao rubro-negro.

O técnico rubro-negro, o estreante Domènec Torrent, bem mais contido e silencioso à beira do campo do que o antecessor Jorge Jesus, ainda não mudou a forma de jogar do português. Mas equivocou-se ao tirar todos os jogadores de criação no segundo tempo (Éverton Ribeiro, Gerson e Arrascaeta) e deixar o time agressivo, com cinco atacantes, mas pouco inspirado.

Mesmo com apenas 38% de posse de bola, o Galo de Sampaoli, com sua marcação alta, não deixou o Flamengo respirar em paz e mostrou que dá para jogar bom futebol mesmo com bem menos posse de bola do que o adversário.

Nesta temporada em que o silêncio dos estádios vazios joga claramente a favor dos visitantes, se o Galo de Sampaoli continuar nesse ritmo será um dos poucos candidatos sérios ao título.

Aposentados do futebol? Confira ex-jogadores que mantêm forma física

Últimas