Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Jogos e franquias internacionais: os planos ambiciosos da NFL fora dos Estados Unidos

Comissário da liga, Roger Goodell, revelou desejo de tornar o futebol americano um esporte global; conheça parte do planejamento

Jarda por Jarda|Lucas FerreiraOpens in new window

NFL disputa jogos de temporada regular na Alemanha desde 2022 (Reprodução X/@SherbyFranky)

Poucas coisas são mais estadunidenses que o futebol americano. Dentre as principais ligas profissionais do país — MLB, NBA e NHL —, a NFL, proporcionalmente, é a que conta com a menor presença de estrangeiros entre os atletas de suas franquias.

Apesar da falta de representatividade internacional, a liga cresce internacionalmente a cada ano que passa. Segundo números divulgados pela NFL, mais de 38 milhões de brasileiros gostam do esporte — sendo 8,3 milhões considerados como fãs assíduos da liga. Estes números colocam o mercado do Brasil atrás apenas do México.

Pensando neste enorme público, a NFL anunciou no final de 2023 o primeiro jogo da liga na América do Sul. O Philadelphia Eagles enfrentará o Green Bay Packers, que conta com uma das maiores torcidas no país. As equipes disputarão a partida na Semana 1 da temporada regular na Arena do Corinthians, em São Paulo.

LEIA TAMBÉM: Ingressos, data e local: veja o que se sabe sobre o jogo da NFL no Brasil

Publicidade

Em entrevista ao apresentador e ex-punter da NFL Pat McAfee, o comissário da liga, Roger Goodell, afirmou que a expectativa é que nos próximos 10 anos todas as franquias joguem ao menos uma partida por temporada fora dos Estados Unidos.

“Nós [futebol americano] acreditamos que podemos ser um esporte global. Então, vejo a gente [NFL] jogando 16 jogos na estrada [internacionalmente] em algum momento nos próximos 10 anos”, comentou Goodell.

Publicidade

O comissário foi além e disse não descartar a possibilidade da criação de uma franquia ou até mesmo uma divisão fora dos Estados Unidos, embora não tenha extipulado uma data para tamanha inovação. É válido destacar que das grandes ligas norte-americanas, apenas a NFL não possui equipes canadenses.

International Series

Quem acompanha a NFL mais de perto sabe que Goodell está longe de ser uma unanimidade como comissário da liga. Entretanto, cabe a ele os créditos da expansão global da NFL.

Publicidade

Em 2007, um ano após assumir a liga com a saída do lendário comissário Paul Tagliabue, Goodell e a NFL deram início a International Series com jogos anuais em Londres, na Inglaterra. Desde então, apenas em 2020, durante a pandemia de Covid-19, a NFL não mandou ao menos uma partida nas terras de Charles 3º.

O Tottenham, inclusive, inseriu na construção do seu novo estádio um sistema de grama artificial para receber os jogos da NFL. O piso fica abaixo do gramado natural utilizado pelo time nos jogos de futebol ao longo da temporada europeia.

Com o sucesso dos jogos na Inglaterra e México, foi inevitável a expansão da International Series ao redor do mundo. Alemanha, Brasil e Espanha receberão nos próximos anos jogos da temporada regular da NFL. Goodell, inclusive, já pensa em levar um jogo de playoff para fora dos EUA.

No total, a liga já disputou 44 partidas de temporada regular fora dos Estados Unidos. Outros seis já estão programados, incluindo a partida no Brasil.

Exploração de mercados estrangeiros

Miami Dolphins possui os direitos de exploração do mercado brasileiro (Reprodução Instagram/Miami Dolphins Brasil)

No fim de 2021, a NFL anunciou um programa para a exploração dos mercados fora dos Estados Unidos. Assim, as franquias que desejassem, podiam escolher países para realizar ações de marketing e eventos para a expansão de suas respectivas marcas internacionalmente.

Atualmente, Miami Dolphins e New England Patriots estão presentes no Brasil. Na América do Sul, os Dolphins também têm ações na Argentina e Colômbia. No total, 19 países são alvos da exploração de mercado de 25 franquias da liga.

“Esta importante iniciativa permite que as equipes da NFL desenvolvam relacionamentos diretos e significativos com os fãs da NFL no exterior, impulsionando o crescimento e a avidez dos fãs em todo o mundo. Ficamos muito satisfeitos com o número, a criatividade e o nível de comprometimento das propostas dos clubes”, disse o vice-presidente executivo da NFL e diretor de estratégia e crescimento da liga Christopher Halpin, em 2021.

Jogadores internacionais

Em 2017, a NFL criou o International Player Pathway Program (Programa Internacional de Atalho para Jogadores, em tradução livre) para aumentar o número de atletas estrangeiros na liga, dando oportunidade para jogadores que não são dos Estados Unidos ou Canadá.

São elegíveis para o programa atletas de 24 anos ou menos que falem inglês e que tenham saído do ensino médio há pelo menos quatro anos. Não são permitidos jogadores que já disputaram partidas no futebol americano universitários dos Estados Unidos.

Desde 2017, 44 atletas chegaram a fazer parte de uma franquia da NFL a partir do programa, com destaque para a Grã-Bretanha e Nigéria, que conseguiram emplacar dez atletas cada. Atualmente, 22 jogadores estrangeiros deste programa estão na liga.

O Brasil já chegou a ser representado neste projeto pelo jogador de linha defensiva Durval Queiroz Neto, que fez parte do Miami Dolphins entre 2019 e 2022. A história detalhada do Durval, porém, trataremos em um próximo texto do Jarda por Jarda.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.