WTorre negocia controle da arena com a Allianz. Palmeiras quer Scuro

O ambiente no clube é de agitação. A seguradora alemã Allianz pode assumir a gestão do estádio. E Alexandre Mattos ser trocado por Scuro

Mattos, pressionado, pode perder o emprego para Thiago Scuro

Mattos, pressionado, pode perder o emprego para Thiago Scuro

Reprodução/ESPN

São Paulo, Brasil

O blog recebeu informações de mudanças importantes estão para ocorrer no Palmeiras.

A construtora WTorre não afastou os três principais executivos da Bravo Live, empresa que administra o estádio, à toa.

O diretor executivo Rogério Dezembro, Heraldo Evans, diretor comercial da arena, e Eduardo Rigotto, gerente geral, deixaram seus cargos na arena, no dia primeiro de outubro.

O motivo não foi descontentamento com o trio, já que a arena palmeirense foi a que teve mais eventos no mundo. Em 2017 e 2018. E segue com a média de 30 eventos por ano.

A intenção da construtora, com sérias dificuldades financeiras, é vender o controle, toda a operação envolvendo o estádio para a seguradora alemã Allianz, que já possui os naming rights do estádio.

A bilionária Allianz se tornaria responsável pela administração do estádio, que é cara. E já seria a responsável pela implantação do gramado artificial. Assim como a construção do memorial para os seis mil troféus palmeirenses, guardados em galpões.

Seria um bom negócio para o Palmeiras, porque a seguradora teria condições de organizar ainda mais shows, usando a mais moderna tecnologia do mundo no gramado artificial, evitando que o time tivesse de atuar no Pacaembu, por exemplo.

Haveria o show em dia, no seguinte, o time poderia jogar sem problema algum. 

Pelo acordo firmado entre Palmeiras e WTorre, a construtora tem a administração do estádio até 2034. Além de camarotes e cadeiras. O clube fica com toda a arrecadação dos seus jogos.

Arena pode ter ainda mais shows com nova parceria. E gramado sintético

Arena pode ter ainda mais shows com nova parceria. E gramado sintético

Palmeiras

A WTorre tem o direito de organizar shows e eventos, ficando com 80% da arrecadação. Além de explorar contratos de publicidade no estádio.

As conversas entre WTorre e Allianz estão muito animadas. Com o acordo muito perto de ser concluído.

Além disso, o clube tem um dirigente na alça de mira para substituir Alexandre Mattos.

Ele tem nome e sobrenome.

Thiago Scuro.

Ele é CEO da Red Bull e trabalha no Bragantino, clube que virou empresa, e está para subir para a Série A.

Foi executivo no Audax em São Paulo e no Rio de Janeiro.

E também passou pelo Cruzeiro.

Tem apenas 37 anos.

Seu nome circula entre conselheiros importantes.

 O executivo Alexandre Mattos segue cada vez mais pressionado. 

Ainda mais depois de ter interpelado na justiça o presidente da Mancha Verde.

O presidente do Conselho Deliberativo, Seraphim del Grande, confirmou que a dona da Crefisa, Leila Pereira, também está descontente com o trabalho de Mattos.

Afinal, 2019 tem tudo para ser um ano de jejum, sem a conquista de um torneio sequer. O clube já caiu no Paulista, na Copa do Brasil, na Libertadores. 

Protesto contra Alexandre Mattos já contamina o clube

Protesto contra Alexandre Mattos já contamina o clube

Reprodução/Twitter

E já está a oito pontos do Flamengo no Brasileiro.

Isso com o elenco mais caro do país.

O clima é de grandes mudanças no Palmeiras em 2020.

(A gerência de comunicações da WTorre não confirma a negociação. Mas o blog reafirma a informação...)