Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Cosme Rímoli - Blogs
Publicidade

A ‘vingança’ de ‘Neguebinha’. Vinicius Júnior mais do que favorito para ser o melhor do mundo. Gol, dribles no 15º título da Champions pelo Real

A vitória por 2 a 0 contra o Borussia, em Wembley, deu ainda mais motivos para que o brasileiro de 23 anos se aproxime da premiação que os brasileiros não conseguem desde 2007, com Kaká. A conquista da Champions, com grande atuação, com direito a gol, têm grande peso

Cosme Rímoli|Cosme RímoliOpens in new window

Vinicius Júnior foi decisivo, marcou gol na segunda decisão da Champion. Temporada sensacional. Favorito a melhor do mundo

‘Neguebinha.’

‘Não vale R$ 150 milhões que o Real Madrid pagou por ele.’

‘Não sabe fazer gol.’

‘O Flamengo fez seu melhor negócio da história.’

Publicidade

Essas eram algumas afirmações da imprensa carioca em 2017, quando Vinicius Júnior desembarcou no Real Madrid.

Sete anos depois, o mundo reverencia o brasileiro de 23 anos como o grande favorito a vencer o troféu de melhor do mundo.

Publicidade

Sua temporada 2023/2024 tem sido fantástica.

Mesmo sendo perseguido, por atos racistas, com direito às organizadas radicais de Atlético de Madrid e Inter de Milão repartirem o indecente coro de ‘olé, olé, olé, Vinicius chimpanzé' ou do Barcelona e Napoli gritando ‘Morte a Vinicius Junior’, o brasileiro respondeu em campo.

Publicidade

Marcou nada menos do que 24 gols e deu 11 assistências.

Foi o jogador que mais driblou na Europa.

E fundamental na partida de hoje, em Londres, na esperada decisão da Champions League.

Diante do surpreendente Borussia Dortmund, de Edin Terzic, Vinicius Júnior foi fundamental.

Principal referência no ataque do time espanhol, ele não se intimidou diante da fortíssima marcação, primeiro do volante Emre Can e depois, nos duelos diante do lateral Ryerson.

E ainda foi frio, no lance que acabou com todas as chances de reação do time alemão.

O jogador ‘que não sabia fazer gol’, repetiu 2022 e marcou em outra final de Champions.

O Real Madrid, depois de sofrer muito no primeiro tempo, estava na frente no placar.

Aos 28 minutos, Kroos cobrou escanteio milimétrico no bico esquerdo da pequena área.

Jogada mais do que ensaiada por Carlo Ancelotti que, infelizmente não comandará a Seleção Brasileira.

O vigoroso lateral Carvajal cabeceou sem chance de defesa para Kobel.

O Borussia abandonou sua estratégia de cinco defensores, quatro jogadores na intermediária e um atacante.

Abriu o time.

E pagou caríssimo.

Em um erro infantil de Matseen.

O lateral esquerdo errou um passe fácil e deu de presente para Bellingham.

Dele foi o passe para Vinicius Junior.

O brasileiro invadiu a área e bateu, de esquerda, Kobel só resvalou na bola que estufou as redes de Wembley.

A comemoração foi merecida.

'Neguebinha.' Parte da imprensa carioca ironizava a contratação de Vinicius Júnior em 2017 pelo Real Madrid. Veio a resposta

“Eu estou aqui!”, disse, sabendo que estava no centro dos holofotes.

E o mundo do futebol tinha de reverenciá-lo.

Depois das palavras, o gesto que tanto irrita os racistas.

Rebolou, dançando, fazendo o que desejava, sem provocar ninguém.

Apenas colocando ‘para fora’, a sua alegria, a felicidade.

Se em 2022, ele marcou na vitória por 1 a 0, contra o Liverpool, agora, despachava o Borussia.

“Vinicius fez sua foto com a bola de ouro em Wembley”, destacou hoje o principal jornal esportivo de Madrid, o Marca.

“Não há mais debate sobre a procedência do melhor do mundo. Ele é brasileiro, leva a camisa sete em suas costas e se chama Vinicius José Paixão de Oliveira Júnior”, publicou no seu portal.

Nesta Champions ele marcou seis vezes e deu cinco assistências.

Já fez nada menos do que 84 gols desde que atua pelo Real Madrid.

E jogando cada vez melhor.

Nada mal para o ‘Neguebinha.’

Neymar tem apenas uma Champions na sua carreira.

E quando não era protagonista.

Ficava atrás de Messi e Suárez.

Há um lobby inglês em favor de Bellingham, excelente meio-campista, também do Real Madrid.

Mas se houver justiça, a Fifa já pode preparar o troféu para Vinicius Júnior.

Em anos que não há Copa do Mundo, a Champions League é decisiva na escolha do melhor do mundo.

Para desespero dos racistas, ele é Vinicius Júnior...





Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.