Cosme Rímoli Vingança! Palmeiras quer revanche da eliminação da Copa do Brasil. Vencer para tirar o São Paulo da Libertadores de 2023

Vingança! Palmeiras quer revanche da eliminação da Copa do Brasil. Vencer para tirar o São Paulo da Libertadores de 2023

O time da Abel Ferreira treinou para um 'jogo especial'. Muito além de caminhar para o título brasileiro, o clube quer travar o rival, que festejou diante da torcida palmeirense a polêmica eliminação da Copa do Brasil

  • Cosme Rímoli | Do R7

São Paulo comemora diante da torcida do Palmeiras. Eliminação na Copa do Brasil é motivo para revanche

São Paulo comemora diante da torcida do Palmeiras. Eliminação na Copa do Brasil é motivo para revanche

Reprodução/Twitter

São Paulo, Brasil

Não é final.

Nem um jogo fundamental.

Mas a direção, a comissão técnica e os jogadores do Palmeiras prometem fazer no domingo uma partida mais do que especial.

Para dar o troco em um dos maiores rivais da história, o São Paulo.

A revanche, desta vez, tem a ver com o que aconteceu na Copa do Brasil, quando o time de Rogério Ceni fez a festa em pleno Allianz Parque lotado, eliminando a equipe de Abel Ferreira nos pênaltis.

Calleri estava impedido quando recebeu um lançamento que acabou no pênalti, que empatou o jogo e levou a decisão às penalidades. A CBF confirmou o erro do VAR em não traçar, de maneira inexplicável, a linha de impedimento quando o argentino foi lançado.

A festa que os são-paulinos fizeram no gramado e nos vestiários do Allianz Parque não foi esquecida.

Abel Ferreira e seus atletas sabem muito bem que uma vitória faria o clube chegar a 70 pontos, seguir caminhando para a óbvia conquista do Brasileiro. O Internacional está em segundo, com dez pontos de desvantagem. Faltando apenas sete rodadas.

Mas conselheiros e membros da direção do clube vibram com a situação do São Paulo. O rival não conseguiu sequer um título em 2022. E está estagnado na 12ª colocação no Brasileiro. Uma derrota seria outro duro golpe na busca de uma mera vaga para a pré-Libertadores.

O único desfalque do time será Rony, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. 

Com a ausência, Abel Ferreira promete deixar o time ainda mais ofensivo. Terá um definidor, e não um velocista homem de referência. 

Merentiel é o mais cotado para atuar na posição. 

Mas, no treinamento de hoje pela manhã, Abel mostrou também quanto quer vencer o jogo para dificultar a vida do rival. A equipe forçou nas bolas paradas. E também a marcação sob pressão, para buscar definir logo a partida. 

O Palmeiras utilizará algo bem parecido com o que aconteceu na final do Paulista, quando o time goleou por 4 a 0. Abel viu o erro da partida na Copa do Brasil. O time diminuiu o ritmo quando estava vencendo e tomou o gol, irregular, de empate.

No domingo, não.

A estratégia será forçar, encurralar o São Paulo o máximo que os jogadores conseguirem fisicamente. 

A rivalidade diante do clube do Morumbi é algo muito presente no dia a dia do Palmeiras. E se intensificou com os anos. Principalmente com a passagem de Carlos Miguel Aidar na presidência são-paulina. Ninguém da direção se esqueceu de quando ele falou que o Palmeiras havia se apequenado. Aidar teve de renunciar à presidência por negociações suspeitas.

Além disso, o vídeo da comemoração dos jogadores do São Paulo, após a vitória nos pênaltis na Copa do Brasil, foi motivo de revolta dos palmeirenses.

O grito de "O Allianz é nosso" ainda ressoa na memória dos atletas e de Abel Ferreira.

No domingo, o Palmeiras vai fazer do clássico um jogo especial.

Para ajudar a tirar o São Paulo do caminho da Libertadores de 2023.

Todos sabem quanto o clube do Morumbi precisa da competição para tentar se reestruturar.

E é algo que os palmeirenses não querem...

Lenda do futebol inglês põe mansão de luxo à venda por R$ 114 milhões

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas