Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Cosme Rímoli - Blogs
Publicidade

‘Vergonha! Vergonha! Vergonha!’ Corinthians derruba Cuca. Empate foi vexame grande demais. Cuca pediu demissão. Para não ser demitido

A torcida e a direção do Athletico não se conformaram com o empate diante do Corinthians, time considerado muito mais fraco. Cuca criticou os jogadores e a direção, no vestiário, depois do 1 a 1 de ontem. O clima ficou insustentável. Pediu para sair. Para não ser demitido

Cosme Rímoli|Cosme RímoliOpens in new window


Cuca se irritou com o coro de 'vergonha' no estádio athleticano. O clima ficou insustentável

A expectativa em Curitiba era de uma fácil goleada athleticana, diante do fraco time corintiano.

Tanto que a arena estava lotada, com mais de 30 mil pessoas.

Todas foram com a expectativa de ‘massacre’.

Só que, frustradas, depois do 1 a 1, elas reagiram.

Publicidade

Gritaram o coro que humilhou Cuca.

“Vergonha! Vergonha! Vergonha!”

Publicidade

O treinador, que já é milionário, por sua passagem por vários grandes clubes, ficou irritadíssimo.

E cobrou muito forte o elenco e também deixou escapar frases contra os dirigentes, deixando claro que não tinha respaldo.

O clima contra Cuca ficou insustentável.

A direção athleticana já havia enfrentado a opinião pública brasileira, contratando o treinador, apesar de uma grave acusação envolvendo uma menor de 13 anos, quando jogava futebol.

Apesar de Cuca conseguir a declaração de inocência, a reação da opinião pública, principalmente fora do Paraná, ao seu retorno ao trabalho, não foi das mais satisfatórias.

Muito pelo contrário.

O Athletico decidiu enfrentar essa questão e contratá-lo.

O clube conseguiu vencer o Paranaense com extrema facilidade.

Jogadores importantes foram contratados.

O time foi montado com o sonho da conquista do Brasileiro ou da Sul-Americana.

Na competição internacional, depois de um início fulminante, o Athletico despencou.

De líder absoluto do seu grupo, teve duas derrotas inesperadas.

Também contra equipes mais fracas.

Contra o Danúbio e Ameliano.

E agora terá de vencer um playoff contra o Cerro Porteño, equipe eliminada da Libertadores, se quiser sobreviver na Sul-Americana.

Para piorar, o time deixou escapar vitórias contra o Flamengo e Botafogo no último minuto de jogo, cedendo o empate.

A gota d’água foi o empate diante do Corinthians.

O coro dos torcedores athleticanos, gritando ‘Vergonha, Vergonha, Vergonha’ foi histórico.

A revolta de Cuca acabou com sua demissão, hoje, depois de uma reunião de 20 minutos.

“É um dia triste para mim, pois estou deixando o Athletico. Tiveram derrotas que foram difíceis de administrar contra o Danúbio e Ameliano, que são inadmissíveis. E, nesses três últimos empates, foi se achando culpados. Quando isso acontece, o jogador perde a confiança. Aí entra o treinador, que tem que assumir a responsabilidade e tentar dar ao clube o direito de pôr um sangue novo e que jogue para cima o astral. Foi nesse intuito que conversei com a diretoria, que entendeu.”

Se Cuca não pedisse demissão, seria demitido.

A direção não aceitou empatar com o Corinthians.

Os dirigentes acreditavam que a distância técnica era muito grande entre um elenco e outro.

Cuca dirigiu a equipe em 22 partidas.

Mas sai feliz, porque sabe que o Athletico o recolocou no mercado.

Havia dúvidas se alguma equipe grande iria contratá-lo, depois da acusação de estupro na Suíça.

O processo foi encerrado, mas, mesmo assim, houve protesto nas redes sociais por sua contratação.

A ação das organizadas do Athletico foi firme contra quem protestava.

E Cuca teve liberdade de trabalho.

Até que não conseguiu evitar a decadência da equipe.

Que culminou com a eliminação diante de um adversário que ‘todos’ no Atlhetico contabilizavam três pontos.

O fraco Corinthians.

O time de Cuca não conseguiu.

E hoje ele está na rua.

Pediu demissão para não ser demitido...


Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.