Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Cosme Rímoli - Blogs
Publicidade

VAR anula gol legal do Vasco e muda todo o jogo. Clube carioca protesta contra a CBF. O Palmeiras? Vence e silencia...

O Vasco da Gama foi muito prejudicado ontem no estádio do Palmeiras. VAR anulou gol legal do Vasco, quando a partida estava 0 a 0. Gol alteraria o rumo do jogo. Clube carioca protesta contra a CBF. Time de Abel silencia

Cosme Rímoli|Do R7 e Cosme Rímoli


O golaço de Paulinho foi anulado de forma errônea pelo VAR. Protesto no Vasco. Silêncio no Palmeiras
O golaço de Paulinho foi anulado de forma errônea pelo VAR. Protesto no Vasco. Silêncio no Palmeiras

São Paulo, Brasil

15 minutos do primeiro tempo.

Lucas Piton cruza, Weverton erra o tempo da bola e Vegetti, impedido, cabeceia.

A bola encobre o goleiro palmeirense.

Publicidade

Murilo salva em cima da risca.

A bola sobra para Richard Ríos, que a afasta para a entrada da área.

Publicidade

Paulinho a domina e acerta um chute maravilhoso: forte, violento, que estufa a rede do Palmeiras.

Gol absolutamente normal.

Publicidade

Mas que o VAR anula. 

A alegação foi que Vegetti estava impedido.

Só que não foi marcado esse impedimento pela arbitragem de campo.

A partir do momento que Richard Ríos tem a bola na sua direção, com o volante podendo dominá-la, tocá-la ou tentar dar um chutão, como ele fez, começa nova jogada.

A partida estava empatada em 0 a 0.

Os jogadores de Abel Ferreira não fizeram um grande jogo.

Estavam cansados da desgastante volta da Colômbia, depois da vitória diante do Deportivo Pereira, pela Libertadores. O desgaste foi por conta de um defeito técnico no avião que a presidente Leila Pereira comprou para transportar a equipe.

Em vez de um dia a mais para descansar, o time teve um dia a menos.

Para piorar as coisas para o Palmeiras, Dudu torceu o joelho direito e foi substituído aos 42 minutos do primeiro tempo.

No segundo tempo, o time paulista melhora um pouco. 

E, aos 19 minutos, Raphael Veiga cobra falta com talento.

Enganando Léo Jardim, cobrando no canto em que o goleiro estava.

Vencendo por 1 a 0, a equipe de Abel administrou o resultado, com calma.

Diminuiu o ritmo do jogo e venceu a partida.

Não há a menor dúvida de que o gol legal do Vasco, anulado pelo VAR, teria poder para mudar toda a perspectiva do jogo.

Um erro inadmissível, que atrapalhou ainda mais a tentativa que o clube carioca está fazendo para se salvar da zona do rebaixamento.

Ao Palmeiras, segundo do Brasileiro, ajudou a manter a diferença de 11 pontos do líder, Botafogo.

O responsável foi Igor Junio Benevenuto de Oliveira, que comandava o VAR, e traiu a arbitragem de Wilton Pereira de Carvalho.

O Vasco da Gama resolveu fazer a única coisa que poderia: protestar.

"O Vasco da Gama contesta a interferência do VAR e a anulação do gol legítimo do Paulinho, na partida deste domingo, diante do Palmeiras. O equívoco da arbitragem influenciou diretamente no andamento do jogo e, consequentemente, em seu resultado", publicou o Vasco por meio de suas redes.

"Novamente, já que não é a primeira vez que isso acontece no Campeonato Brasileiro, o clube irá apresentar uma formal reclamação à Confederação Brasileira de Futebol."

Do lado do Palmeiras, nenhuma palavra sobre o gol anulado.

Ninguém falou sobre "jogo condicionado".

Nem sobre articulações para que o campeão brasileiro do ano passado não possa ganhar neste ano.

A ajuda real que o Palmeiras teve ontem não foi citada.

Vida que segue...

Clubes brasileiros em pleno telão da Times Square, em Nova York, vira moda; entenda

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.