Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Cosme Rímoli - Blogs
Publicidade

Vaias, e derrota em jogo fundamental na Libertadores. Mas Fernando Lázaro não se demite. Gaviões exige saída imediata

Derrota de ontem para o Argentino Juniors, em plena arena de Itaquera, foi péssima para o Corinthians na Libertadores. O time foi travado com toda a facilidade. 

Cosme Rímoli|Do R7 e Cosme Rímoli

A inexperiência de Fernando Lázaro pesou na partida fundamental contra o Argentino Junior. Cargo ameaçado
A inexperiência de Fernando Lázaro pesou na partida fundamental contra o Argentino Junior. Cargo ameaçado A inexperiência de Fernando Lázaro pesou na partida fundamental contra o Argentino Junior. Cargo ameaçado

São Paulo, Brasil

Fernando Lázaro jamais havia sido técnico de futebol.

Nem auxiliar.

Não tinha familiaridade com vestiários, cobrança de jogadores.

Publicidade

Era um ótimo analista de desempenho.

E inteligente observador tático.

Publicidade

Só.

Mas a direção corintiana resolveu aceitar a sugestão de Tite.

Publicidade

Antes de começar a Copa do Catar, por sugestão do ex-diretor de futebol, Roberto de Andrade, o Corinthians ofereceu o cargo de treinador para o comandante da Seleção Brasileira.

Tite refugou. E sugeriu Fernando Lázaro, que estava indo para o Catar observar os adversários da Seleção.

Roberto de Andrade acreditou ser uma ótima opção. Porque comprometeria Tite, caso o novato não fosse bem. E assim, foi. Duilio Monteiro Alves aceitou a aposta.

O resultado foi suicida.

Diante do fraco futebol do Corinthians no Paulista, Roberto de Andrade, pressionado pelas organizadas, teve de pedir demissão.

Veio a vexatória eliminação diante do Ituano, em plena Itaquera.

Depois de um mês de treino, sem faturar nada, o time venceu o fraquíssimo Liverpool, no Uruguai, pela estreia na Libertadores, por 3 a 0.

Depois, o Corinthians fez sua estreia na Copa do Brasil e derrota histórica para o Remo, em Belém, ficando a um passo da eliminação.

No Brasileiro, com futebol instável, Fernando Lázaro foi xingado de burro no intervalo da estreia contra o Cruzeiro. Vitória por 2 a 1, com o Corinthians outra vez não jogando bem, em Itaquera.

E ontem, novo fracasso do time, na Neo Química Arena.

Festa argentina em Itaquera. Argentino Juniors travou como quis o frágil Corinthians, de Lázaro
Festa argentina em Itaquera. Argentino Juniors travou como quis o frágil Corinthians, de Lázaro Festa argentina em Itaquera. Argentino Juniors travou como quis o frágil Corinthians, de Lázaro

No jogo fundamental na Libertadores, perdeu para o Argentino Juniors, por 1 a 0, gol do lateral Cabrera, aos 12 minutos do primeiro tempo, com o time outra vez jogando muito mal.

Depois de xingar Fernando Lázaro, e vaiar muito, a torcida resumiu sua revolta em coro.

"P..., que saudade...

"Quando o Corinthians jogava com vontade..."

O coro é tão injusto quanto erra o alvo principal. 

Não houve falta de vontade do Corinthians, pelo contrário até, os jogadores correram muito.

Mas errado.

Porque Fernando Lázaro, com apenas 17 partidas no currículo, não conseguiu encontrar maneiras táticas para o Corinthians se livrar do sistema 3-5-2 montado pelo técnico Gabriel Milito.

Sem Renato Augusto, se recuperando de cirurgia no joelho direito, Lázaro apostou no jovem Matheus Araújo, que havia jogado muito bem, e feito um dos gols na vitórias contra o Cruzeiro.

Com ele na intermediária, Giuliano, Cantillo e Fausto Vera. Na frente, Yuri Alberto e Róger Guedes.

O desenho tático corintiano era um espaçado 4-4-2. Sem efetividade nas intermediárias, sem triangulações pelos lados do campo. O time vivia, no ataque, de bolas cruzadas na área argentina.

Aberto a contragolpes, principalmente pelos lados do campo. O Corinthians tomou uma bola no travessão aos seis minutos. E, aos 12, Cabrera aproveitou de cabeça, ótima jogada de Montiel pela esquerda, passando por Fagner e por Balbuena, antes de cruzar.

Perdendo por 1 a 0, o Corinthians mostrou toda a sua falta de recursos para superar o preenchimento de espaço dos versáteis atletas do time argentino.

Trocando passes, controlando a partida, o Argentinos Juniors não correu risco. A torcida corintiana cantava, desesperada, tentando passar força, inspiração, para o time que não rendia.

A derrota deixou o clube em uma situação difícil seu grupo, o E, da Libertadores. Enquanto o rival abria seis pontos em duas partidas, o Corinthians está empatado em segundo, com o Independiente del Valle, com três pontos. Com o Liverpool na lanterna, com zero.

Após, o jogo, Fernando Lázaro ficou completamente na defensiva.

Deixava claro que sabia que seu trabalho está sendo avaliado.

E não será surpresa se o Corinthians imitar o São Paulo e demitir seu treinador. Ou contratar um mais experiente e fixá-lo como auxiliar.

Perguntado sobre sua demissão, ele fugiu da resposta.

"Temos oscilado, a sequência tem sido de alternância de resultado e de desempenho, não é uma sequência ruim. É claro que isso nos incomoda. Resultados negativos, como esse, não são o objetivo, temos buscado uma constância.

"Conseguimos um resultado fora, esse resultado em casa seria importante para a consolidação e valorização dos pontos que nós conquistamos fora. Sabemos que está aberto, é um grupo difícil. Temos um jogo, a sequência do Del Valle

"O que penso...

"Bom, penso em trabalhar, corrigir, melhorar, estamos trabalhando nesse sentido de buscar uma constância maior de um jogo para o outro."

Róger Guedes foi direto.

"Fizemos uma má partida. (...)Deixamos de jogar, perdemos a essência."

As organizadas do Corinthians já se organizam para nova cobrança sobre a direção de Duilio Monteiro Alves.

Se no mês passado, conseguiram 'a cabeça' de Roberto de Andrade, agora o alvo é outro.

Fernando Lázaro.

Campanha da Gaviões da Fiel. Principal organizada corintiana imita a são-paulina, que derrubou Ceni
Campanha da Gaviões da Fiel. Principal organizada corintiana imita a são-paulina, que derrubou Ceni Campanha da Gaviões da Fiel. Principal organizada corintiana imita a são-paulina, que derrubou Ceni

Duílio Monteiro Alves vai esperar a reação do time até o confronto de volta contra o Remo.

Se o Corinthians não reagir, virar o resultado contra o Remo, Fernando Lázaro deverá ser demitido.

Sua situação é muito complicada.

Veio o peso de apenas 17 partidas no currículo.

A Gaviões da Fiel, imitando a Independente, que foi fundamental na demissão de Rogério Ceni, veio cobrar publicamente a demissão de Fernando Lázaro.

A mensagem é direta, clara.

FORA LÁZARO |

Alô, diretoria do Corinthians!

Não podemos ficar à mercê de um treinador que está usando o Corinthians de estágio.

Vamos esperar ficar de fora de mais quantos campeonatos?

FORA LÁZARO!

SALVE O CORINTHIANS!...

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.