Cosme Rímoli Turner: Peru e Brasil, só pagando. Globo e SBT fazem oferta

Turner: Peru e Brasil, só pagando. Globo e SBT fazem oferta

Grupo americano, que quebrou o monopólio da transmissão da Seleção nas Eliminatórias, quer lucrar. Jogo contra o Peru estará no EI Plus

  • Cosme Rímoli | Do R7

A Turner decidiu que vai mostrar Peru e Brasil no streaming, terça-feira

A Turner decidiu que vai mostrar Peru e Brasil no streaming, terça-feira

Mowa Press

São Paulo, Brasil

O monopólio de transmissão dos jogos do Brasil nas Eliminatórias foi quebrado, como informou o blog.

A Globo comprou o direito das partidas dentro do país.

E o confronto com a Argentina fora.

As demais partidas com Peru, Uruguai, Paraguai, Venezuela, Chile, Equador, Colômbia e Bolívia, fora do Brasil, são da Turner.

Com exclusividade.

Ou seja, a transmissão das partidas da Seleção nas Eliminatórias para a Copa são históricas.

Rachadas.

A emissora carioca perdeu a exclusividade.

A Turner fez o caminho contrário da Globo. 

Comprou o direito dos jogos dos oito outros países que disputam as Eliminatórias, além do Brasil e Argentina.

Os preços variaram entre U$ 1,5 milhão, R$ 8,4 milhões, até US$ 5 milhões, cerca de R$ 28 milhões, por jogo.

Emissoras abertas tentaram rachar a Champions com a Turner. Ouviram 'não'

Emissoras abertas tentaram rachar a Champions com a Turner. Ouviram 'não'

Site Bayern

Ao contrário do que acontecia, a Conmebol liberou que cada país negocie seus jogos diretamente, e não por meio da confederação, o que atrapalhou demais os planos da Globo.

Pensando, obviamente no lucro, a Turner decidiu que o confronto entre Peru e Brasil, na próxima terça-feira, terá transmissão no seu canal de streaming, o EI Plus. Só assinantes poderão ver o jogo, pagando R$ 19,90 por mês ou R$ 13,90, no plano anual.

Será um teste real de popularidade da Seleção.

Mas, assim que souberam da decisão da Turner, emissários da Globo e do SBT tentam convencer o grupo norte-americano a repassar os direitos na tevê aberta dos jogos do Brasil fora de casa.

A princípio, a Turner não está disposta.

Quer manter a exclusividade.

Assim como fez com a Champions League.

E ser mais radical, mostrando os jogos da Seleção que adquiriu, só por seu canal pago de streaming.

A Globo tenta ao menos salvar as aparências.

Aposta na crise financeira, na recessão.

Que o brasileiro não vá pagar para assistir o time de Tite.

Que a adesão ao streaming será pequena.

Veja mais: Um ano e quatro meses. Neymar está livre do pesadelo Najila

E a Turner acabe 'rachando' as transmissões.

Situação constrangedora.

Afinal, a Globo tratava a Seleção como produto 'seu'.

A Globo tratava a Seleção Brasileira como se fosse produto 'seu'

A Globo tratava a Seleção Brasileira como se fosse produto 'seu'

Reprodução/Globo

O SBT, que comprou os direitos da Libertadores, corre por fora.

É franco atirador.

A esperança das emissoras brasileiras está no capitalismo.

Os norte-americanos pensam menos no orgulho.

E mais no dinheiro.

A sexta-feira promete ser decisiva...

Curta a página do R7 Esportes no Facebook

Ladrão invade casa de CR7 e rouba camisa autografada pelo astro

Últimas