Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Tite pediu e o Flamengo contratou o substituto de Gabigol. Técnico defendeu, de maneira, fria o ídolo rubro-negro. Relação é péssima

O treinador não teve como escapar da pergunta sobre Gabigol, na coletiva, após a vitória diante do Nova Iguaçu. Ficou ainda mais claro o quanto a relação é péssima. Treinador pediu Carlinhos para o lugar do jogador

Cosme Rímoli|Do R7 e Cosme Rímoli

"Ah...É Gabigol..." O coro maior da torcida, na vitória na final. E o pesado apoio de Zico. Ruim para Tite
"Ah...É Gabigol..." O coro maior da torcida, na vitória na final. E o pesado apoio de Zico. Ruim para Tite "Ah...É Gabigol..." O coro maior da torcida, na vitória na final. E o pesado apoio de Zico. Ruim para Tite (Flamengo)

São Paulo, Brasil

Tite sentiu o peso de um ídolo no Flamengo.

Três mil adesivos com os dizeres 'Gabigol estamos com você', foram distribuídos pelas organizadas. Para que os torcedores 'comuns' que estivessem com a camisa rubro-negra.

Durante a final de ontem, mesmo com o time massacrando o fraco Nova Iguaçu, por 3 a 0, o coro era para o atacante suspenso.

Publicidade

"Ah...É Gabigol...

"Ah...É Gabigol..."

Publicidade

Além disso, a bandeira enorme, vermelha, com os traços do rosto do jogador, em negro, tremulou durante toda a partida, ao lado de uma, que retratava Zico.

Além disso, a mídia carioca também insistiu no jogador, por saber, que os atletas do clube mais popular do Brasil, não têm o carisma do ídolo.

Publicidade

Gabigol está suspenso por dois anos. Por tentativa de burlar o exame antidoping.

Até então, ele era reserva do time de Tite. 

Publicidade

E a direção rubro-negra havia desistido de renovar seu contrato, que vence em dezembro, diante da pedida de salários de R$ 2,5 milhões e luvas de R$ 54 milhões, por um compromisso de mais cinco anos.

Até comprou o atacante Carlinhos, do Nova Iguaçu. Pagou um milhão de euros, cerca de R$ 5,4 milhões, pelo jogador de 27 anos. Foi contratado para ocupar justamente o lugar de Gabigol: ser reserva de Pedro.

Quem pediu o jogador?

Tite...

Zico é o mais forte cabo eleitoral de Gabigol. Defende sua permanência na Gávea. Com unhas e dentes
Zico é o mais forte cabo eleitoral de Gabigol. Defende sua permanência na Gávea. Com unhas e dentes Zico é o mais forte cabo eleitoral de Gabigol. Defende sua permanência na Gávea. Com unhas e dentes (Alexandre Vidal/Flamengo)

Suspenso, Gabigol está proibido até de treinar nas dependências do Flamengo, com o time. Ele tem optado por manter a forma em casa. Mas tem à disposição o Centro de Treinamento Zico, do maior ídolo da história do clube carioca.

Zico é o maior defensor público do artilheiro.

Diante dessa comoção em relação ao atacante, Tite se viu obrigado a se posicionar.

A suspensão foi tornada pública na segunda-feira, dia 25 de março.

O técnico, que mantém uma relação apenas profissional, fria, com o jogador que fez questão de não levar para a Copa do Catar, apesar de convocar nove atacantes, não havia dito uma palavra sobre a punição ao 'seu' atleta.

E, perguntado na coletiva de ontem, não teve saída.

Falou, mas sem entusiasmo, sem hipotecar confiança na sua inocência.

"O que eu posso fazer agora é ser solidário a ele. Mandei mensagem a ele, a gente quer ele o mais rápido possível de volta, mas quer também que essa situação no aspecto jurídico e direitivo que ela seja resolvida.

"A situação tem as suas particularidades jurídicas no caso, que está sendo analisado. Enquanto departamento técnico, a gente está com ele, os profissionais estão acompanhando, fazendo treino específico dentro da base das leis. Pois tem uma situação legal. A gente está realizando esse aporte importante para que, pós-julgamento, a gente tenha ele de volta.

"Queremos ele de volta...

"Se assim o julgamento determinar..."

Carlinhos foi comprado por um milhão de euros. Para ocupar o lugar de Gabigol. Ser o reserva de Pedro
Carlinhos foi comprado por um milhão de euros. Para ocupar o lugar de Gabigol. Ser o reserva de Pedro Carlinhos foi comprado por um milhão de euros. Para ocupar o lugar de Gabigol. Ser o reserva de Pedro (Nova Iguaçu)

A verdade é que Gabigol se tornou um obstáculo para o técnico.

Primeiro, pela parte técnica. Por não saber montar equipes com dois atacantes centralizadores de jogadas finais, como Dorival Junior fazia com Gabigol e Pedro.

Depois, porque Tite não esqueceu o coro que o atacante regeu, contra ele,recheado de palavrões, quando o Flamengo foi tricampeão da Libertadores. E o jogador estava de fora do grupo que foi para a Copa.

Com Gabigol fora do Flamengo, o treinador teria mais tranquilidade para trabalhar. Porque é acossado toda semana com perguntas sobre o aproveitamento do ídolo.

O vice Marcos Braz, que já discutiu de maneira ríspida com Gabigol, também foi pressionado a se posicionar ontem.

"O Flamengo, junto com seus advogados, recorre para o comitê internacional, em que a gente acredita que em um novo julgamento a gente possa acrescentar com mais ênfase e mais certeza os nossos pontos. Mais uma vez, o atleta teve os erros dele, poderia ter amenizado algumas coisas, mas daí ter a punição que teve a gente acha que não procede e é injusto."

Braz também tentou negar o óbvio.

Que não contratou o atacante Carlinhos para o lugar de Gabigol.

"Nada tem (a ver) com a situação do Gabigol. É um jogador que já estávamos monitorando. A gente fez isso antes das finais porque entendemos que a gente poderia perder o jogador para clube aqui do Rio ou de fora do Brasil."

Ou seja 'é só coincidência' que Carlinhos seja um finalizador, mesma posição de Gabigol.

Pedro é titular absoluto de Tite.

No lugar de quem, Carlinhos irá ficar? 

É claro que no de Gabigol.

O ídolo, inteligente, sabe que enfrenta a rejeição de Tite e da diretoria.

E, ontem, enalteceu quem mais o apoia: a torcida.

Em um post caprichado, escreveu nas suas redes sociais.

"Nós. Por Nós. Pelos Nossos."

Esta foi a legenda da foto das bandeiras com seu rosto e de Zico.

Gabigol contratou o escritório de Bichara Neto, advogado que defendeu Paolo Guerrero, também envolvido em uma briga jurídica com o controle antidopagem da Fifa. E que quase perdeu a Copa do Mundo do Catar, se não fosse a defesa do advogado junto ao CAS, a Corte Arbitral do Esporte.

Assim que terminou o jogo de ontem no Maracanã, o coro não era para os jogadores vencedores da primeira final do Carioca.

Era por um ausente.

E cuja sombra incomoda Tite e a direção rubro-negra.

"Ah...É Gabigol...

"Ah... É Gabigol..."

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.