Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Tite monta o time de estreia na Copa. Sem ousadia. Sem Vinicius Júnior. Com o burocrático Fred

Tite tratou de fechar o treino. Queria manter a dúvida se jogará contra a Sérvia com um time muito ofensivo, com Vinícius Júnior no time. Mas optou por Fred como titular

Cosme Rímoli|Do R7 e Cosme Rímoli

Vinicius Junior, Neymar, Raphina e Richarlison. Ousadia demais para Tite. Fred treina como titular
Vinicius Junior, Neymar, Raphina e Richarlison. Ousadia demais para Tite. Fred treina como titular Vinicius Junior, Neymar, Raphina e Richarlison. Ousadia demais para Tite. Fred treina como titular

Doha, Catar

A história se repete.

Tite define o time de estreia da Copa do Mundo em um treino fechado.

Só que, desta vez, todos os indícios mostram para a previsibilidade.

Publicidade

Não será como em 2018, quando definiu, no último treino que Thiago Silva formaria dupla com Miranda, tirando Marquinhos do time.

Informação que o blog deu, com exclusividade, subindo as montanhas de Teresópolis, em 2018. 

Publicidade

Se no CT inespugnável da Juventus, em Turim, na Itália, não foi possível para nenhum repórter acompanhar o treinamento para o confronto de estreia, diante da Sérvia, daqui seis dias, aqui no Catar, no Lusail Stadium, vazou a informação que Richarlison treinou entre os titulares.

E que Vinicius Junior, não.

Publicidade

Tite não é desses treinadores bipolares, que treinam com um time e jogam com outro.

Se Richarlison jogou e Vinicius Junior, não, a escalação está resolvida.

Alisson, Danilo, Thiago Silva, Marquinhos e Alex Sandro; Casemiro, Fred e Lucas Paquetá; Neymar; Raphinha e Richarlison.

O treinador brasileiro não apostou na ofensividade, jogando com Paquetá como segundo volante. E Vinicius Júnior, no ataque, com Raphinha e Richarlison.

Ou seja, o tradicional 4-3-1-2.

Tite segue apostando na segurança de um meio-campo mais fechado. E com laterais que avançam bem menos do que se tornou tradição na Seleção Brasileira. Pelo potencial reduzido no ataque de Danilo e de Alex Sandro.

E também para que Raphinha, Richarlison e, principalmente Neymar, tenham os lados do campo para atacar.

É uma equipe poderosa do meio para a frente.

Só que há problemas na zaga.

Thiago Silva, aos 38 anos, não tem mais a velocidade na recomposição. Nos contragolpes adversários.

Casemiro tem a missão de ficar bem mais atento à marcação à frente da defesa do que faz no Real Madrid, por exemplo.

Fred também precisará de uma participação maior do que mostrou ultimamente contra os adversários bem mais fracos que a Sérvia, que o Brasil enfrentou.

A movimentação do time também precisava ser aprimorado.

Por conta dos adversários fracos, da falta de intercâmbio, enfrentamento com seleções europeias, principalmente.

Foram equipes do Velho Continente que eliminaram o Brasil nas últimas quatro Copas. França, Holanda, Alemanha e Bélgica.

O Brasil deixa Turim com 11 graus e chegará aqui em Doha, com 29 graus.

Também parte da estranha preparação de Tite...

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.