Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Cosme Rímoli - Blogs
Publicidade

Tite encurralado. Terá de dar chances reais para Gabigol. Por pressão da diretoria, da mídia, da torcida, a estrela poderá jogar contra o Amazonas

O efeito suspensivo da punição de dois anos, por tentativa de flagrar o antidoping, de Gabigol foi um bálsamo para Tite. Teve o enorme poder de desviar o foco das péssimas atuações do Flamengo. O atacante, que estava na reserva, depois de dois anos, volta com status de grande estrela. Que sempre foi

Cosme Rímoli|Cosme RímoliOpens in new window

Gabigol estava na reserva, sem motivação, por conta da perseguição de Tite. Agora, tudo mudou

O efeito foi maravilhoso para a Gávea.

O clima tenso pelo fraquíssimo futebol do Flamengo nas derrotas para o Bolívar e para o Botafogo, se dissipou.

Sumiu, como por encanto, com o efeito suspensivo que Gabigol conseguiu na Corte Arbitral do Esporte.

A principal estrela, Gabigol, está liberado para atuar.

Publicidade

A sua punição por dois anos, por tentar burlar o exame antidoping, não tem efeito.

Não enquanto o julgamento do recurso definitivo não for julgado na Suíça.

Publicidade

O efeito suspensivo foi garantido hoje.

Depois de 45 dias ele não apenas foi liberado para treinar com seus companheiros.

Publicidade

Diante da pressão da direção, da torcida, da mídia, do elenco, Tite teve de ceder.

E relacionou Gabigol para a partida de amanhã, contra o Amazonas, pela Copa do Brasil.

O simples anúncio de que o camisa 10 está liberado e poderá jogar teve efeito imediato.

O aumento significativo na procura de ingressos para a partida contra o time de Manaus.

Por mais irônico que possa parecer, a suspensão acabou por valorizar o atacante.

A irregularidade do elenco mais caro da América do Sul, nas mãos de Tite, trabalhou a favor de Gabigol.

Seu nome foi lembrado pelos dirigentes, que perceberam a falta que o maior ídolo faz.

Dentro e fora de campo.

Encostado por Tite, na reserva, ainda pelo rancor de o jogador tê-lo ofendido pela não convocação para a Copa de 2022, o jogador estava esquecido da mídia e da imprensa.

O baixo nível do Campeonato Carioca também foi perfeito para passar a imagem que o Flamengo não precisava mais de seu artilheiro.

Mas bastou começar os confrontos na Libertadores e o Brasileiro e a verdade ficou evidente.

É um desperdício aceitar o exílio humilhante que Tite estava submetendo Gabigol.

Dorival Júnior fez o óbvio: colocou Gabigol ao lado de Pedro. Foi campeão da Libertadores e da Copa do Brasil

A direção, que havia ficado ofendida com a pedida para renovação: R$ 54 milhões de luvas e mais R$ 2 milhões por mês, começou rever sua postura radical.

Percebeu que, mesmo suspenso, não há ninguém no caríssimo elenco que tenha a metade da popularidade do jogador.

A mídia também notou que o time de Tite precisa de variações ofensivas.

Fixar Pedro virou óbvio demais para os rivais do rubro-negro.

Carlinhos tem o nível técnico abaixo dos companheiros de elenco.

Com a suspensão, Gabigol voltou aos holofotes.

E o Flamengo percebeu que está desperdiçando uma enorme estrela.

Palmeiras acompanha com interesse essa postura firme contra o jogador, orquestrada por Tite.

Principalmente o presidente Rodolfo Landim entendeu.

Estava errado o rumo das tratativas com Gabigol.

Ainda mais tendo pela frente o Mundial de Clubes em 2025.

A primeira providência foi cobrar o acompanhamento dos treinamentos do suspenso Gabigol.

E cada treino no seu luxuoso condomínio foi registrado.

O jogador se sentiu valorizado, de novo,.

Percebeu o quanto o Flamengo precisa dele.

Assim como ele precisa do Flamengo.

Passou a treinar com mais motivação.

E a cuidar, com mais cuidado, de sua alimentação.

Ao mesmo tempo, seus advogados diziam da enorme chance de efeito suspensivo na Suíça.

Gabigol jamais teve problemas com doping em toda a carreira.

Seu histórico pesou muito na liberação do efeito suspensivo.

Com a liberação, Tite se viu encurralado.

E terá de dar novas chances reais para o maior ídolo da Gávea.

O mundo girou. E Tite não pode mais desprezar Gabigol

A mágoa, o rancor que nutre pelo jogador tiveram de desaparecer.

Ele está liberado.

E o treinador não teve como não relacioná-lo.

A direção, a mídia e a torcida exigiram.

Gabigol está motivado.

Sente que o Flamengo reaprendeu a valorizá-lo.

Era tudo o que precisava.

Basta Tite não impedir que mostre seu futebol diferenciado.

E veja alguns vídeos do Flamengo de Dorival Junior.

Quando Gabigol e Pedro conviveram em perfeita harmonia.

Como titulares do time campeão da Libertadores...




Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.